CURRICULUM VITAE

LUIZA  L. B. LOBO
Rio de Janeiro
2016

 

 

CURRÍCULO NO CNPq: Luiza Leite Bruno Lobo

Consultar em: http://lattes.cnpq.br/7787315052900514

SITE:  www.litcult.net – Editora.

 

 

 

  1. TRABALHOS PUBLICADOS

 

7.1. LIVROS E MONOGRAFIAS

 

7.1.1. Por trás dos muros / Arte-fábulas, Rio de Janeiro, Brasília, 1976. 78 p.

 

7.1.2. Tradição e ruptura: O Guesa de Sousândrade, São Luís, SIOGE, 1979. 101 p.

 

7.1.3. Voo livre, Rio de Janeiro, Cátedra/Institut National du Livre, 1982. 126 p.

 

7.1.4. Épica e modernidade em Sousândrade, São Paulo, EDUSP; Rio de Janeiro, Presença, 1986. 201 p.

 

7.1.5. Teorias poéticas do Romantismo. Introdução, organização, tradução. Porto Alegre, Mercado Aberto; Rio de Janeiro, UFRJ, 1987. 278 p.

 

7.1.6. A maçã mordida.  Contos. Rio de Janeiro, Numen, 1992. 158 p.

 

7.1.7. Crítica sem juízo. Ensaios. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1993. 259 p.

 

7.1.8. O haicai no Brasil. A crise da metafísica ocidental.  Rio de Janeiro, Numen, 1993.  78 p.

 

7.1.9. Robert Burns. 50 poemas. Tradução, introdução e notas. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1994. 335 p. ISBN 978-85-7617-132-4

 

7.1.10. Literatura Comparada I. Introdução, organização, tradução, exercícios e notas. Rio de Janeiro, Coan, 1996. 127 p.

 

7.1.11. Literatura Comparada II. Introdução, organização, tradução, exercícios e notas Rio de Janeiro, Coan, 1996. 95 p.

 

7.1.12. Sexameron. Novelas sobre casamentos. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1997. 113 p. ISBN 8573161396.

 

7.1.13. Estranha aparição. Contos. Rio de Janeiro, Rocco, 2000. 159 p. ISBN 8532511805.

 

7.1.14. Épica e modernidade em Sousândrade. 2ª ed. Rio de Janeiro, 7Letras / CNPq, 2005. 238 p. ISBN: 857577246-5.

 

7.1.15. Guia de escritoras da literatura brasileira. Rio de Janeiro, Eduerj / FAPERJ, 2006. 290 p.  ISBN: 85-7511-099-3.

 

7.1.16. Segredos públicos. Os blogs de mulheres no Brasil. Rio de Janeiro, Rocco, 2007. ISBN: 978-85-325-2119-4.

 

7.1.17. Crítica sem juízo. 2ª ed. Rio de Janeiro, Garamond / CNPq, 2007. ISBN: 978-85-7617-132-4. 394 p.

 

7.1.18. Terras proibidas: a saga do café no Vale do Paraíba do Sul.  Romance. Rio de Janeiro, Rocco, 2011. Inclui bibliografia. ISBN – 978-85-325-2652-6.

 

7.1.19. O Guesa, de Joaquim de Sousa Andrade (Sousândrade). Introd., org., notas, glossário, fixação e atualização do texto por Luiza Lobo. Rio de Janeiro, Ponteio; São Luís, AML, 2012. 572 p. ISBN 978-85-64116-16-0.

 

7.1.20. Sexameron. Padova, Aracne, 2016. (Tradução ao italiano por Maria Aparecida Rodrigues Fontes).

 

 

 

7.2.  ENSAIOS

 

7.2.1.  “Hogg – um manual de maldade. Arte e Crítica”, in O Globo, Ano I, 23, 3 janeiro 1970, p. 9.

 

7.2.2. “Virginia Woolf – o romance e as mulheres”.  Arte e Crítica, in O Globo, Ano I, 27, 31 janeiro 1970, p. 9.

 

7.2.3.  “Realismos e irrealismos da análise realista”, Suplemento Literário de Minas Gerais, 20 julho 1974, p. 2.

 

7.2.4.  “Análise de Lucíola e Iracema, de José de Alencar”, in Cultura e Educação, Revista da Faculdades Integradas Simonsen, 2º semestre de 1975. (mimeo).

 

7.2.5. “O ensino de línguas vivas na Alemanha”, Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Educação e Cultura, 1975.

 

7.2.6.  “A visão antecipadora de Sousândrade, in José – Literatura, critica e arte”, Rio de Janeiro, Fontana, 1, julho 1976, p. 28-30.

 

7.2.7.  “Análise de Memórias póstumas de Brás Cubas, in Cultura e Educação”, Rio de Janeiro, Faculdades Integradas Simonsen, 1977, p. 6-13.

 

7.2.8.  “James Dickey vai bem, obrigado”, in Província do Pará, Belém, 17 dezembro 1978.

 

7.2.9.  “Sousândrade passeia no Rio de Janeiro”, in Artefato – Jornal de Cultura, Rio de Janeiro, Ano 2, 11, 1979, p. 8-10.

 

7.2.10.  “Lendo O Guesa”, Revista da Academia Maranhense de Letras, São Luís, Academia Brasileira de Letras, v. 12, dezembro 1979, p. 9-22.

 

7.2.11.  Prefácio a Canção do meu exílio, de José Roberto de Almeida Pinto, Rio de Janeiro, Achiamê, 1979, p. 5.

 

7.2.12.  “Modernism in Virginia Woolf and Joyce”, in ABIP News, Rio de Janeiro, Ano 2, 3, julho 1980, p. 2.

 

7.2.13.  “A poética de Gonçalves Dias e de Sousândrade”, in V Congresso Nacional de Estudos de Linguística e Literatura (Anais), Rio de Janeiro, SUAM / Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação / Editora Três, 1980, p. 141-53.

 

7.2.14.  “O medo e o grito”, Revista Brasileira de Língua e Literatura, Rio de Janeiro, Sociedade Brasileira de Língua e Literatura, Ano 3, nº 7, 1º trimestre 1982, p. 23-29.

 

7.2.15.  “Clarice Lispector e Virginia Woolf: uma comparação”, in VI Congresso Nacional de Estudos de Linguística   e Literatura (Anais),  11-17 janeiro 1981, Rio de Janeiro, SUAM, 1982, p. 38-50.

 

7.2.16.  “Walt Whitman e Sousândrade”, Letterature d’America, rivista trimestrale, Roma, Bulzoni, Ano 3, n. 14 / 15, autumno 1982, p. 101-15;  ??? ver também 217, 220, 223, 226. ISSN 1678-0531.

 

7.2.17.  “Humor da palavra e sentido do lugar em Guimarães Rosa”, Revista Brasileira de Língua e Literatura, Rio de Janeiro, Sociedade Brasileira de Língua e Literatura, Ano 4, 1º, 2º, 3º, 4º trimestres 1982, p. 10-16.

 

7.2.18.  Prefácio (contracapa) à própria tradução de Passeio ao farol, de Virginia Woolf, Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1982.

 

  • “O teatro elizabetano”, in Teatro Sempre, org. Ligia Vassalo, Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 72, janeiro-março 1983, p. 67-81.

 

7.2.19.a. “Lendo O Guesa (2)”, Revista Letras. Rio de Janeiro, SUAM, Ano 6, n. 6, 1983, p. 108-123.

 

7.2.20.  “O clássico e o moderno em Invenção de Orfeu”, de Jorge de Lima, in Revista Brasileira de Língua e Literatura, Rio de Janeiro, Sociedade Brasileira de Língua e Literatura, Ano 5, 11, 1º, 2º semestres 1983. p. 18-23.

 

7.2.21.  Publicação do resumo do debate “O poeta é um fingidor?”, in Laboratório de criação literária, Caderno 3, Rio de Janeiro, Faculdade de Letras da UFRJ, outubro de 1983, p. 33-46.

 

7.2.22.  “As metáforas do humor em Machado de Assis”, in Letterature d’America, rivista trimestrale, Roma, Bulzoni, Anno IV, 18, Estate 1983, p. 65-81.

 

7.2.23. Introdução a prefácio inédito de João Guimarães Rosa, in Revista do Brasil, Rio de Janeiro, Secretaria de Ciência e Cultura do Estado do Rio de Janeiro, Ano I, nº 1,  1984, p. 30.

 

7.2.24. “O Romanceiro da Inconfidência e seu  comprometimento ideológico”, in Perspectivas I, Rio de Janeiro, Departamento de Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ, 1984, p. 109-15.

 

7.2.25.  A “Nova Crítica”, in Manual de Teoria Literária, org. Rogel Samuel, Diversos autores, Petrópolis, Vozes, 1984. [3ª ed. 1986].[Nova edição 1996]. 189 p. p. 101-04.

 

7.2.26.  “Estética da Recepção”, in Manual de Teoria Literária, org. Rogel Samuel, Diversos autores, Petrópolis, Vozes, 1984. 189 p. [3ª ed. 1986]. [11ª ed. 1998]. p. 114-19.

 

7.2.27.  “Uma contribuição para a bibliografia de Sousândrade”, in Miscelânia de estudos literários, Homenagem a Afrânio Coutinho, Rio de Janeiro, Pallas; Brasília, INL / Pró-Memória, 1984, p. 255-65.

 

7.2.28.  “A ficção impressionista e o fluxo da consciência”, in A narrativa de ontem e hoje, org. Ligia Vassalo, in (Comunicação / 5), Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1984. 191 p. p. 145-57.

 

7.2.29.  “Escrita proletária e grupos independentes na Nova República”, in Revista do Brasil, Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Educação e Cultura, Ano 2, nº 5, 1986, p. 104-13.

 

7.2.30.  “Dez anos de literatura feminina brasileira”, in Letras de Hoje, Porto Alegre, PUC / Rio Grande do Sul, 66, dezembro 1986, p. 107-25. ISSN 0101-3335.

 

7.2.31.  “Um auto-retrato de mulher: a pioneira maranhense Maria Firmina dos Reis”, in Letterature d’America, Tuttamerica, rivista trimestrale, Itália, Bulzoni, Ano 7, 29-30-31, 1986-87, p. 71-86.

 

7.2.32. “Women writers in Brazil today”, World Literature Today, Oklahoma, The University of Oklahoma, v. 61, 1, winter 1987, p. 49-54.

 

7.2.33.  “Literatura feminina brasileira e sua comparação com a literatura norte-americana” (resumo), Anais do II Encontro Nacional da ANPOLL, Rio de Janeiro, ANPOLL, 26 a 29 maio 1987, p. 29-30.

 

7.2.34.  Tradução comentada da poesia pré-romântica do poeta escocês Robert Burns, para uma edição bilingue (Resumo), Anais do II Encontro Nacional da ANPOLL, Rio de Janeiro, 1987, p. 47.

 

7.2.35. “Literatura negra brasileira contemporânea”, Revista de Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, Conjunto Universitário Cândido Mendes; Fundação Ford, nº 14, setembro 1987, p. 109-40. Republ. em Crítica sem juízo. Cap. 15, p. 161-204. ISSN 0101-546X.

 

7.2.36. “O negro de objeto a sujeito”, Jornal do Brasil, Idéias, Suplemento de Livros, 85, p. 6-7, Ano 98, 36, 14 maio 1988. Chamada Caderno 1, p. 1. Republicado em Crítica sem juízo.

 

7.2.36. “O negro de objeto a sujeito”, Jornal do Brasil, Idéias, Suplemento de Livros, 85, p. 6-7, Ano 98, 36, 14 maio 1988. Chamada Caderno 1, p. 1. Republicado em Crítica sem juízo.

 

7.2.37.  “Corpo: objeto de repressão ou auto-imagem agredida”, in Letras de Hoje, Porto Alegre, PUC/RS, 72, junho 1988, p. 7-17.

 

7.2.38.  Oito verbetes para o Dictionary of Brazilian Literature, editado por Irwin Stern, New York, Westport, Greenwood Press, 1988, p. 137-38, 190-91, 222-26, 309-10, 311, 323-24, 326-27, 348.

 

7.2.39.  “A (der)rota na metáfora da navegação, de Jorge de Lima a Ana Cristina César”, in Perspectivas 3: Modernidades, Rio de Janeiro, Departamento de Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ, 1988, p. 251-61.

 

7.2.40.  “Literatura brasileira contemporânea: a outra face da mulher”, Anais do I Simpósio Dimensões da Alteridade nas Culturas de Língua Portuguesa: O Outro, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian / Universidade Nova de Lisboa, (de 20 a 23 de novembro de 1985), 1988, v. 2, p. 427-39.

 

7.2.41. “The first translation of the poetry of Robert Burns into Portuguese”, Acts of the Proceedings of the 12th Congress of the International Comparative Literature Association (Munich, 1988), Munich, Iudicum, 2000, 4 v., v. 4, p. 266-71.

 

7.2.42. “A (der)rota na metáfora da navegação, de Jorge de Lima a Ana Cristina César”, Anais, 1º Congresso da ABRALIC, de 1º a 4 junho 1988, Porto Alegre, UFRGS.    3 v. v. 2,  p. 120-26. (Resumo?).

 

7.2.43.  “A (der)rota na metáfora da navegação, de Jorge de Lima a Ana Cristina César”, Literatura de vanguarda luso-brasileira, Hispanic Studies, Columbia,University of South Carolina, n. 4, 1989, p. 60-70. (Integral).

 

7.2.44.  “Negritude e literatura”, Angolê, Artes e Letras, 0, Lisboa, setembro 1989, p. 10-3, 29.

 

  • “História e ideologia do poema Mensagem, de Fernando Pessoa”, in Iberia and the Mediterranean, Ed. Benjamin F. Taggie e Richard W. Clement, Warrenburg, Central Missouri State University, 1989, p. 235-44. Também em Mediterranean Studies, Iberia and the Mediterranean: mediterraneanstudies.org/ms/vol_1.html. ISBN 848966627X.

 

7.2.46.  “Discurso ensaístico e alteridade na literatura feminina”, 3º Encontro Nacional – Mulher e Literatura.  Cadernos, 1, Florianópolis, 4 – 6 outubro 1989, Universidade Federal de Santa Catarina / FINEP / COPITEC / 1989, p. 370-74.

 

7.2.47.  “Recepção a Sonia Coutinho”, in Exu, Salvador, Fundação Cultural da Bahia, nov.- dez. 1989, 12, p. 31.

 

7.2.48.  “A pioneira maranhense Maria Firmina dos Reis”, Revista de Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, Centro de Estudos Afro-Asiáticos do Conjunto Universitário Cândido Mendes; Fundação Ford, 16, 1989, p. 91-102.

 

7.2.49.  “Literatura Comparada e Estética da Recepção” (resumo), Anais – I Congresso Internacional da Faculdade de Letras – Discurso e Ideologia, Letra, 3, Rio de Janeiro, UFRJ / Fundação José Bonifácio, 1989, p. 340-1.

 

7.2.50.  “A tradução de Teorias poéticas do Romantismo”, Anais do 3° Encontro Nacional de Tradutores (26-28 agosto 1987), O ensino da tradução, Porto Alegre, Labor, 1989, p. 211-218.

 

7.2.51.  “Jomar (Sousândrade) Moraes”, PH Revista, São Luís, Ano XV, 487, 6 a 12 maio 1990, p. 4, 8.

 

7.2.52.  “Jomar (Sousândrade) Moraes”, in O cinquentão Jomar Moraes, ed. Pergentino Holanda, vários autores, São Luís, Legenda, 1990, p. 45-47.

 

7.2.53.  “A nova voz da mulher na literatura brasileira contemporânea”, in Encruzilhadas / Crossroads, v. 3, Symposium on Portuguese Traditions (Europe, America, Africa, Asia), Los Angeles, University of California, 1990, p. 127-31.

 

7.2.54.  “Corpo:  objeto de repressão ou a auto-imagem agredida”, in A mulher na literatura, org. Ana Lúcia Almeida Gazolla, Belo Horizonte, ANPOLL/VITAE/UFMG, 1990. v. 1. 222 p. p. 20-32.

 

7.2.55.  “Teorias poéticas do Romantismo”, Boletim do Sepesp, Rio de Janeiro, UFRJ, Faculdade de Letras, Departamento de Letras Vernáculas, v. 3, setembro 1990, p. 99-105.

 

7.2.56.  “Ser ou não ser (feminina)”, Linguagem, Revista Brasileira de Estudos de Língua e Literatura, Rio de Janeiro, Presença, junho 1990, 7, p. 139-44.

 

7.2.57.  “A mulher negra na literatura brasileira”, Angolê, Artes e Letras, Lisboa, 1990, 3, p. 28-31.

 

7.2.58.  “Woolf and Lispector: A Comparison?”, in Anais do XXII Seminário Nacional de Professores Universitários de Literaturas de Língua Inglesa, XXII Senapuli, Prefeitura de Poços de Caldas, 1990.  284 p. p. 247-55.

 

7.2.59. Prefácio a A quadratura do círculo, de Marcos de Faria Costa, São Paulo, João Scortecci, 1991. p. 5-8.

 

7.2.60.  “Leitor”, in Palavras da crítica, Tendências e conceitos no estudo da Literatura, org. José Luís Jobim.  Rio de Janeiro, Imago, 1992.  444 p. p. 231-51. ISBN 853120223X.

 

7.2.61.  Introdução, Cap. 23, intitulado “Latin America”. Ensaio sobre literatura feminina brasileira e hispano-americana, e 150 verbetes sobre escritoras da América Latina no Bloomsbury guide to Women’s Literature, da Bloomsbury Press, editado pela Professora Claire Buck, da Polytechnic of North London. London, Bloomsbury, 1992. 1171 p. p. 150-55 (Introd.). p. 247 ss. (verbetes). ISBN 9780130896650.

 

7.2.62.  Anne Stevenson, “Amarga fama: uma biografia de Sylvia Plath”.  Com material adicional escrito por Lucas Myers, Dido Merwin e Richard Murphy.  Tradução de Lya Luft.  Rio de Janeiro, Rocco, 1992.  Texto encomendado pela Editora Rocco, para a divulgação da obra nacionalmente. 1992.

 

  • Ensaio “A paixão segundo G.H.”; Appendix 2; e 40 verbetes sobre esta obra e outras de Clarice Lispector, in Diane Marting, Contributing ed. Clarice Lispector: a bio-bibliography, New York, Wesport, Greenwood, c1993. 329 p. p. 113-15 (Capítulo), p. 285-88 (Apêndice), p. 118-32 (verbetes). p. 257.

 

7.2.64. Introdução à própria tradução de Virginia Woolf, O Farol. 4ª ed. Rio de Janeiro, Ediouro/Tecnoprint, 1993. 206 p. (Ver 7.7.20).

 

7.2.65.  Introdução à própria tradução de A festa ao ar livre e outras histórias, de Katherine Mansfield. Rio de Janeiro, Ediouro/Tecnoprint, 1993. 204 p. (ver 7.7.21.).

 

7.2.66. “From Westerns to Woolf  – at 19”.  (Depoimento de minha experiência como tradutora). Ata Source. The Newsletter of the Literary Divison of the American Translators Association. Summer 1993. p. 2-3.

 

7.2.67.  “Clarice Lispector: A hora da estrela. Texto e imagem”, in Letra e Imagem: Duas linguagens. Rio de Janeiro, Governo do Estado, Secretaria de Estado de Educação, Coord. Geral Pedagógica; UERJ, 1994. 148 p. p. 63-71.

 

7.2.68.  Introdução à própria tradução de Poemas de Robert Burns.  Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1994. p. 13-34.

 

7.2.69. “Imagens de mulher na ficção de Sonia Coutinho”, Anais, Literatura e Diferença, IV Congresso ABRALIC. São Paulo, 31 julho, 1, 2, 3 agosto 1994. São Paulo, Abralic, 1994. 1108 p. p. 555-59.

 

7.2.70. Resenha ensaística “Paul de Man: Romanticism and criticism. The Gauss Seminar and other papers”, E. S. Burt et al. eds., Baltimore and London, The Johns  Hopkins University Press, 1993, Canadian Review of Comparative Literature, 21.3, setembro 1994. ISSN 0319-051X. P. ?

 

7.2.71. Introdução ao volume e ensaio “O índio e a revolução, ou à margem do Sena”. In Margens na Literatura, volume Perspectivas 4.  Rio de Janeiro, Numen, 1994. p. 7-11 e 163-81. (Ver item 2.10.16).

 

7.2.72. “Haiku in Brazil”, in Inter-Asian Comparative Literature. Anais do XIII Congresso ICLA, em Tóquio, 1991. Volume Editors Kawamoto Koji, Heh-Hsiang Yuan, Ohsawa Yoshihiro. Tóquio, International Comparative Literature Association, 1995. 626 + XVIII p. 6 v.  v. 6, “The force of vision”, p. 98-107.

 

7.2.73.  Introdução à própria tradução de Jane Austen, Persuasão, Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1996. p. 9-17. ISBN 8526503170.

 

7.2.74. “Sonia Coutinho revisits the city”.  In: Latin American women’s writing, Feminist readings in theory and crisis. Org. Prof. Anny Brooksbank Jones e Catherine Davies.  Oxford, Clarendon Press, 1996. (Oxford Hispanic Studies). 250 p. Chapter 9, p. 163-78.

 

7.2.75. “Os manifestos do Romantismo”. Revista Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, 127, Poéticas e manifestos que abalaram o mundo, out.-dez. 1996: p. 111-122. ISSN

01028782.

 

7.2.76. “Novo milênio e reconstrução do cânone: literatura latino-americana de autoria feminina”, Carmina, Revista Semestral de Cultura, 8, “Linguagens do feminino”, 1996-1997. p. 96-107.

 

7.2.77. “Uma certa cidade: a imagologia urbana na obra de Sonia Coutinho”.  In: Cânones Contextos. 5o Congresso Abralic – Associação Brasileira de Literatura Comparada – Anais. Realizado no Rio de Janeiro, 30 julho a 2 de agosto de 1996. Rio de Janeiro, Abralic, 1997. v. 2. p. 81-86.

 

7.2.78. Ensaio de 4.000 palavras: “Brazilian literature. 20th century”. In: Encyclopedia of Latin-American Literature, ed. Verity Smith, London, Fitzroy Dearborn Publishers, 1997. p. 143-48. Sumário autores www.fitzroydearborn.com/Contribs. ISBN

1-884964-18-4.

 

7.2.79. “A força do discurso indireto em Clarice Lispector”, Cadernos de Letras. Rio de Janeiro, Faculdade de Letras, Departamento de Letras Anglo-Germânicas, Setor de Alemão, 12, 1997, p. 73-77.

 

7.2.80. “A literatura de autoria feminina na América Latina”, Revista Brasil de Literatura (Rio de Janeiro), Ano I, 1997. http://members. tripod.com/~lfilipe/Llobo.

html.  Julho-setembro 1997. 20 p. ISSN 1807-3794.

 

7.2.81. “A fratura pós-moderna”. Memória. Jornal Rio Artes. Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Ano 6, nº 24, 1997. P. 8-11.

 

7.2.82. “A literatura de autoria feminina na América Latina”, Registros do SEPLIC – Seminário Permanente de Literatura Comparada.  Departamento de Ciência da Literatura, Faculdade de Letras, 1997. 40 p.

 

7.2.83. “El nuevo milenio y la reconstrucción del canon en la literatura latinoamericana de mujeres”. In: Mulheres e Literatura, revista on-line do NIELM – Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Mulher na Literatura, nº 1, 1997.

http://w3.openlink.com.br/nielm. 8 p.

 

7.2.84. “Narrativas de autoria feminina e a construção do novo milênio”, Estudos Neolatinos, 2. Rio de Janeiro, UFRJ-Faculdade de Letras-curso de Letras Neolatinas. Ano 2, n. 2, 1997. 570 p. p. 465-472.

 

7.2.85. “Antiépica e modernidade”, Ipotese. Revista de Estudos Literários da pós-graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora, Ano 1, nº 1, 1997, p. 9-23.

 

7.2.86. “Antiviagens”, Terceira Margem, Revista da pós-graduação em Letras da UFRJ. Rio de Janeiro, Ano IV/V, nº 5/6, 1997-1998. p. 80-88. ISSN 1413-0378.

 

7.2.87. “The reception in Brazil of the first Portuguese translation of Robert Burns”, Studies in Scottish Literature, Department of English, Columbia, South Carolina, Studies in Scottish Literature, v. 30, 1998. p. 249-60. ISSN 0039-3770.

 

7.2.88. “A gênese da representação feminina na literatura ocidental: Bíblia, Cabala, Idade Média”, Mulheres e Literatura, revista on-line do NIELM, nº 2. 1998. http:// www.openlink.com.br/nielm.  (atual http://www.letras.ufrj.br/litcult). 8 p.

 

7.2.89. “O enigmático Sousândrade ou o enigma de sua não-decifração”, Poesia Sempre, Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional, Departamento Nacional do Livro, Ano 6, nº 9, março 1998. 483 p. 425-29.

 

7.2.90. “Beyond Realism and towards the imaginary: Latin-American women writing at the end of the millennium. In: Daughters of restlessness. Women’s literature at the end of the Millennium”. Ed. Sabine Coelsch Foisner, Hanna Wallinger e Gerhild Reisner. Universitätsverlag C.Winter, Heidelberg, 1998. 312 p. p. 297-306. ISBN 978-3-8253-0731-8.

 

7.2.91. “Aspects of Postmodern Literature in Brazil”, in Comparative Literature Now / La Littérature Comparée à l’heure actuelle. Théories et réalisations.  Textes réunis par Steven Tötösy de Zepetnek, Milan V. Dimic and/et Irene Sywenky, org. Paris, Honoré Champion, 1999. 930 p. Chapter 2, p. 399-406.

 

7.2.92. “Marina Colasanti na Faculdade de Letras da UFRJ”, Letras em destaque, Setor Cultural, Faculdade de Letras da UFRJ. 15 a 31 janeiro 1999. p. 3.

 

7.2.93. Apresentação (orelha) de A bela e a fera, de Clarice Lispector. Rio de Janeiro, Rocco, 1999.  2 p. ISBN 9788574883137.

 

7.2.94. Apresentação do livro Globalização e literatura. Discursos transculturais. v. 1. Org. Luiza Lobo. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1999. p. 7-10.

 

7.2.95. Apresentação do livro Fronteiras da literatura. Discursos transculturais, v. 2. Org. Luiza Lobo. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1999. p. 7-8.

 

7.2.96. Apresentação do livro A poética das cidades, org. Luiza Lobo e Márcia Gonçalves S. Faria. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1999. p. 7-9. Ensaios de 7 alunos do curso de pós-graduação em Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ.

 

7.2.97. “A gênese da representação feminina na literatura ocidental: Bíblia, Cabala, Idade Média”.  In: Mulher e Literatura. VII Seminário Nacional. Trabalhos apresentados no VII Seminário Nacional. ANPOLL – Associação Nacional de Professores e Pesquisadores de Pós-Graduação em Letras e Linguística, org. Livia de Freitas Reis, Lucia Helena Vianna, Maria Bernadette Porto. Niterói, EDUFF; Rio de Janeiro, Sette Letras, 1999. 2 v. v. 1. 334 p. v. 2. 337-791 p. p. 566-571.

 

7.2.98. “A dimensão histórica do feminismo atual”, in Literatura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Org. Ramalho, Christina; Lobo, Luiza; Soares, Angélica; Xavier, Elódia. Rio de Janeiro, Elo, 1999. 256 p. p. 41-50.

 

7.2.99. Texto apresentado na mesa “Desafios às hierarquias: teoria crítica feminista, revisão do cânone, textualizações contextualizadoras”. Com Angélica Soares, Elódia Xavier, Helena Parente Cunha, Luiza Lobo. VI Congresso de Literatura Comparada da Abralic – Associação Brasileira de Literatura Comparada. Tema: Literatura Comparada = estudos culturais? Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 18 a 22 agosto 1998. Programa, Mesa 30, p. 16. Publicação em CD-Rom, 1999.

 

7.2.100. “Micro-história e narrativa. O ciclo dos ‘romances de crime’, de Sonia Coutinho”.   Anais do VI Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas. On-line, AIL/micro-historiaenarrativas.html. 1999. Rio de Janeiro, ECO, UFRJ, 1999. CD-Rom 2000.

 

7.2.101. “Crítica literária brasileira: 500 anos depois”. Tribuna de Alagoas, Edição Especial. Brasil 500 Anos. Maceió, 22 abril 2000, p. 6.

 

7.2.102. “A literatura na era cultural”. Tribuna de Alagoas, Edição Especial. Brasil 500 Anos. Maceió, 22 abril 2000, p. 6.

 

7.2.103. “USA x América Latina: viajes y abandono”. Tres depoimentos do Brasil. In:  Spielmann, Ellen. Las relaciones culturales entre América Latina y Estados Unidos después de la Guerra fría. Berlin, Wissenschaflicher Verlag, 2000. p. 116-18.

 

  • “Apresentação”. In: Modernidad y modernización, Cultura y literatura en Latinoamérica, Quito, Abya-Yala, 2000. p. 5-12. ISBN 9978-04-581-1.

 

  • “El nuevo milenio y la reconstrucción del canon en la literatura latinoamericana de mujeres. In: Modernidad y modernización. Cultura y literatura en Latinoamerica, Quito, Abya-Yala, 2000. 140 p. Cap. 4, p. 95-105.

 

  • “Simone Beauvoir e depois”. Revista Gênero. Cadernos do Núcleo Transdisciplinar de Estudos de Gênero – NUTEG. Niterói, EdUFF, 2001, nº 2. p. 30-40. INSS 9978-04-581-1.

 

  • “Apresentação do Guia de escritoras da Literatura Brasileira.” Publicado no Boletim do GT A mulher na literatura, 1998-2000, v. 8, Maceió, EDUFAL/ANPOLL, maio 2000. p. 94-99.

 

  • “Pioneira da Literatura Brasileira: Dinah Silveira de Queiroz”. VIII Seminário Nacional Mulher e Literatura, 1999. Publicação em CD-Rom, org. Ivia Alves, Salvador, Universidade Federal da Bahia, 2001. 10 páginas.

 

 

  • “Richard Rorty e a importância do pós-moderno no contexto cultural brasileiro”. Pesquisa realizada para o Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Oxford: brazil.ox.ac.uk/workpap.html (2000). Acesso em fev. 2011: working paper CBS-21-2001. Disponível em 15 set. 2012.

http://www.brazil.ox.ac.uk/__data/assets/pdf_file/0016/9412/lobo21.pdf.

Ver www.brazil.ox.ac.uk/visiting_academics/cbs_visiting_academics_1997-2007.

Acesso em 22 fevereiro 2011.

 

  • “A teoria e a prática feministas”. In: Fronteiras imaginadas. Cultura nacional / Teoria Internacional. Org. Eduardo F. Coutinho. Rio de Janeiro, Aeroplano, 2001. p. 183-199.

 

  • “Sousândrade: antropofagia avant la lettre”. In: Chiappini, Ligia; Bresciani, Maria Stella, org. Literatura e cultura no Brasil. Identidades e fronteiras. Berlim, Ibero-Amerikanisches Institut; Preussicher Kulturbesitz; Varsóvia, CESLA/50 ICA; Campinas, Cortez, 2002. 328 p. p. 137-144. ISBN 85-249-0875-0.

 

  • “Literatura e História: uma intertextualidade importante”. In: Constância Lima Duarte, Eduardo de Assis Duarte, Kátia da Costa Bezerra, org. Gênero e representação: teoria, história e crítica. (Coleção Mulher e Literatura, v. 1). Belo Horizonte, Universidade Federal de Minas Gerais, 2002. ISBN. 85-87470-38-8. 304 p. p. 108-17.

 

7.2.114. “A filosofia de Richard Rorty”, Terceira Margem, Revista do Curso de Pós-Graduação em Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ. Espaço e Escrita. RJ, Ano 6, nº 7, 2002. p. 79-90. ISSN 1413-0378.

 

  • “Brazilian Feminisms”, Book Review de Solange Ribeiro de Oliveira and Judith Still (Eds.), Brazilian Feminisms, Nottingham, The University of Nottingham Monographs in the Humanities; Belo Horizonte, Universidade Federal de Minas Gerais, 1999, 190 p. vol. XII, Feminist Review, London, n. 70, 2002, 3 p. ISSN:0141-7789-20-23

 

  • “Feminism or the Ambiguities of the Feminine in the Works of Clarice Lispector”. In: Clarice Lispector. Closer to the Wild Heart. Claire Williams and Claudia Alonso. Oxford, Legenda; European Humanities Research Centre of the University of Oxford, 2002. Chapter 6, p. 86-101. ISBN 1 900 755 62-9.

 

  • Prefácio. “O moto-contínuo”. In: Márcio-André, Movimento perpétuo. Rio de Janeiro, Confraria do Vento, 2002. 96 p.il. p. 5-11. ISBN 978-85-60676-00-2.

 

 

  • 4, Simbolismo e dintorni, versione italiana di Guia Boni: doze verbetes sobre Simbolismo, Cruz e Souza, Pedro Kilkerry, Raul de Leoni, Mário Pederneiras, Eduardo Guimarães, Auta de Souza, Gilca Machado, Qorpo-Santo, Sousândrade, Qorpo Santo, Artur Azevedo, Alphonsus de Guimaraens, para Scrittori Brasiliani, org. Giovanni Ricciardi, Napoli, Pironti, 2003. p. 271-298. ISBN 88-7937-313-7. 686 p.

 

7.2. 120. “O romance histórico no Brasil”. Artigo on line na página da Embaixada do Brasil em Paris, org. Eliana Bueno. Endereço eletrônico: CHECK N. VER SE FALTA ALGO.

http://www.bresil.org/Litterature_en_francais/Litteraturefrancais.htm. 2003-

 

7.2.121. Publicação on-line do artigo “The Philosophy of Richard Rorty and the Fate of Latin America in the Field of Literature and Culture. In: A Globalized Cervantes. www.ln.edu.hk/eng/staff/eoyang/icla/hist.htm – a partir da Comunicação apresentada em Hong-Kong, no XVII Congresso Internacional da Associação Internacional de Literatura Comparada. Mesa coordenada pela Profa. Dra. Tânia Carvalhal, da UFRGS, Presidente da instituição. 2004-.

 

7.2.122. Orelhas do livro Sete faces. Poesia. Org. Helena Ortiz. Sete escritoras. Prefácio Rita Moutinho. Rio de Janeiro, Editora da Palavra, 2004. 111 p. ISBN 85-98348-02-3.

 

7.2.123. “Arte e cultura na América Latina”, para a revista Passages de Paris, da APEBFR – Association des Professeurs des Études Brésiliens en France, organizada pela Professora Dra. Eliana Bueno, em 2005.

 

7.2.124. Littérature et Histoire au Brésil Contemporain”. Revista Latitutes. http://www.bresil.org/LItterature-en-francais/Litteraturfrancais.htm. 2005.

 

 

7.2.125.  “Nossa Heloísa Maranhão – do Rio”, Depoimento. Confraria do Vento, revista literária on-line, org. Marcio-André. http://marcioandre.confrariadovento.com. 2005- .

 

7.2.126. “La métafiction historiographique des femmes écrivains au Brésil”, Revista Censive, no 1, Revista Internacional de Estudos Lusófonos / Revue Internationale des Études Lusophones, Nantes, CIL, Instituto Camões, 2006, Chap. 3, p. 37-55. ISSN 1952-6512.

 

7.2.127. “Vozes femininas/feministas da América Latina: tradição, cânone e ruptura de identidade”. Censive, nº 2, Nantes, CIL, Instituto Camões, 2007. Chap. 2, p. 2-50. ISSN 1952-6512.

 

7.2.128. Prefácio “A literatura no Paraná sob a luz do feminismo”, do livro de Teixeira, Níncia Cecília Ribas Borges. Escrita de mulheres e a (desconstrução do cânone literário na pós-modernidade: cenas paranaenses. Guarapava, Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), 2008. 156 p. Prefácio de Luiza Lobo, p. 13-19. ISBN: 978-89346-91-7.

7.2.129. O hibridismo na cultura pós-moderna. Ensaio. In: Censive, Revue Internationale d’Études Lusophones, Nantes, Université de Nantes / Instituto Camões, 2008, no 3, 3o trimestre de 2008. p. 33-49. ISSN 1952-6512. Número sobre Hybridisme culturel.

7.2.130. Apresentação do número sobre Hybridisme culturel, in: Censive, Revue Internationale d’Études Lusophones, Nantes, Université de Nantes, 2008, no 3, 3o trimestre de 2008. p. 33-49. ISSN 1952-6512.

7.2.131. “Exportar tradução literária do Brasil: como é possível?”. In: Literatura traduzida e literatura nacional. Org. Andréia Guerini, Marie-Hélène C. Torres, Walter Carlos Costa. Rio de Janeiro, 7Letras/CNPq, 2008. ISBN 978-85-7577-515-8. 208 p. p. 15-30.

7.2.132. “Somos todos mestizos en Brasil”, Revista Taller de Letras nº 44, Santiago de Chile, Pontifícia Universidade Católica, Departamento de Literatura, 1º sem. 2009. ISSN: 07160798. p. 55-70.

 

7.2.133. Publicação em CD-ROM de “A desconstrução do romance ‘de construção’ feminina. XIII Seminário Nacional e IV Seminário Internacional Mulher e Literatura. Memórias, Representações, Trajetórias. Natal, 2 a 4 de setembro de 2009. 12 p.

 

7.2.134. Publicação em CD-ROM de “A literatura e a integração na América Latina”, no Congresso IX Jornadas Andinas Latino-Americanas, JALLA, na Universidade Federal Fluminense (UFF) e IX Jornadas Andinas Latino-Americanas, América Latina, Integração e Interlocução, CD-ROM. 15 p. 5 de agosto de 2010.

 

7.2.135. Prefácio ao livro de Paulo César Silva de Oliveira, Poética da distensão (entre a transcrição da paisagem e a escritura do caminho: crítica e desconstrução no Grande sertão: veredas).  Prêmios Cidade de Manaus, Prefeitura Municipal de Manaus. Manaus, Muiraquitã, 2010. 254 p. ISBN 978-85-99122-06-8. Int. Luiza Lobo, p. 15-17.

 

7.2.136. “O oral e o popular em Memorial de Maria Moura, de Rachel de Queiroz”. In: Rachel de Queiroz: uma escrita no tempo. Ensaios. Org. Fernanda Coutinho. Fortaleza, Fundação Demócrito Rocha, 2010.186 p. il. ISBN 978-85-7529-481-9. p. 101-120.

 

7.2.137.  Publicação em CD-ROM de “A literatura como integração da América Latina”, no Congresso da JALLA – Jornadas Latino-Americanas, na Universidade Federal Fluminense (UFF) no dia 5 de agosto de 2010. 15 p.

 

7.2.138. “O oral e o popular em Memorial de Maria Moura, de Rachel de Queiroz”. In: Rachel de Queiroz: uma escrita no tempo. Ensaios. Org. Fernanda Coutinho. Fortaleza, Fundação Demócrito Rocha, 2010.186 p. il. ISBN 978-85-7529-481-9. p. 101-120.

 

7.2.139. Introdução “Uma sociologia do autor”, p. 9-11, a Biografia e criação, v. 5 Encontros com escritores do Rio de Janeiro e outros. Por Giovanni Ricciardi. Niterói, Nitpress, 2010. 215 p. ISBN 978-85-7884-055-6. Com CD-ROM.

 

7.2.140. Introdução “A voz espiritual de Ismael Coutinho”, ao livro de Ismael Coutinho Bosquejos. Edição, apresentação e notas de José Pereira da Silva. Rio de Janeiro, Ed. Botelho, 2011. 200 p. ISBN 978-85-98924-26-7. p. 9-25.

 

7.2.141. Introdução “A voz espiritual de Ismael Coutinho”, ao livro de Ismael Coutinho Silhuetas. Rio de Janeiro, Ed. Botelho, 2011. 140 p. ISBN 978-85-98924-25-0. p. 9-26.

 

7.2.142. “O romance de história das mentalidades e as Terras proibidas”, Revista da Academia Brasileira de Filologia, Ano IX, n. 9, 2º semestre de 2011. ISSN 1676-1545.

 

7.2.143. Introdução ao livro Diálogos de gênero e representações literárias. Org. Algemira de Macedo Mendes e Jurema da Silva Araújo. Teresina, EDUFPI, 2012. Coletânea de artigos do Curso de Mestrado em Letras da Univ. Estadual do Piauí. Apresentação, p. 11-16.

 

7.2.144. “Cordel: ontem e hoje”. Revista Escritural n. 6, Écritures d’Amérique latine. Déc. 2012. ISSN 2102-5797. http://www.mshs.univ-poitiers.fr/crla/contenidos/ ESCRITURAL/ESCRITURAL6/ESCRITURAL_6_SITIO/PAGES/Lobo.html.

 

7.2.145. “Feminismo e cosmopolitismo na obra de Sonia Coutinho”. In: Ângela Maria Dias, Eduardo F. Coutinho e Maximiliano Torres (Orgs). Angélica Soares. Memória sem margens. Rio de Janeiro 7Letras, 2014. 140 p. ISBN 978-85-421-0310-6. p. 68-81.

 

7.2.146. “Diálogos entre a Nova história e a Estética da recepção”. Capítulo 11, Diferenças. In: Pesquisa em Literatura. Deslocamentos, conexões e diferenças. Reflexões de crítica, teoria e historiografia literárias do Mestrado em Letras da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Daniel Abrão e Eliane Maria de Oliveira Giacon (Orgs.). Curitiba, Appris/ Brasília, CAPES, 2014. ISBN 978-85-8192-306-2. p.183-198.

 

7.2.147. “Juana Manso – uma exilada em três pátrias”. In: Mulher e literatura: vozes consequentes. Ronana Cássia Kamiota e Luísa Cristina dos Santos Fontes (Orgs.). Florianópolis, Mulheres e Literatura, 2015. 500 p. p. 119-160.

 

7.2.148. Luz e sombra na obra de Maria Firmina dos Reis. In: Vaz, Leopoldo Gil Dulcio e Adler, Dilercy Aragão (Orgs.). Sobre Maria Firmina dos Reis. São Luís, Colorgraf, 2015. ISBN 978-85-68280-08-9. 153 p. p. p. 107-121.

 

7.2.149. Artigo “Arte e Cultura na América Latina na era da globalização”, Revista da ABRAFIL, nº XVII, nova fase, 2015, 2º semestre. p. 54-72. ISSN 1676-1545.

 

7.2.150. Prefácio ao livro Poemas de viagens, de Cecília Meireles. São Paulo, Global, 2016.

 

 

 

 

7.3.  RESENHAS E ENSAIOS JORNALÍSTICOS

 

7.3.1.  O crime e suas possibilidades – Crime. Manoel López-Rey, Artenova. Opinião (RJ), 34, Livros, 2-8 julho 1973, p. 21.

 

7.3.2.  André Figueiredo, O longo aprendizado de Isaura. Brasília, EBRASA, 1972. Colóquio-Letras (Lisboa), 15, setembro 1972, p. 95. ISSN 0010-1451.

 

7.3.3.  (Re)inventando o Orfeu, Leitura de Invenção de Orfeu. Opinião, 141, Livros, 18 julho 1975, p. 22-3. P?

 

7.3.4.  O protesto de Gregório – Poesia e protesto de Gregório de Matos, de Fritz Teixeira de Salles. Opinião, 144, 8 agosto 1975, p. 20.

 

7.3.5.  Teoria ao alcance de todos. Tribuna da Imprensa (RJ), Suplemento da Tribuna, Espaço Universitário, 16-17 agosto 1975, p. 4.

 

7.3.6.  A morte de D. J. em Paris. Tribuna da Imprensa, Suplemento da Tribuna, Espaço Universitário, 27 setembro 1975, p. 4.

 

7.3.7.  Um texto ainda taquigrafado, Assis Brasil, A rebelião dos órfãos, Editora Artenova. O Globo (RJ), Domingo, 26 outubro 1975, p. 5.

 

7.3.8. O feudo metafórico de Vó Menina – O pardal é um pássaro azul, de Heloneida Studart, Civilização Brasileira. Opinião, 156, 31 outubro 1975, p. 21.

 

7.3.9.  O autor pretende-se sério, embora engraçado. Seu livro também é: Mário Souto Maior, Território da danação. O Globo, Pesquisa, 9 novembro 1975, p. 5.

 

7.3.10.  O resignado cotidiano de Sigmund Freud, numa tradução que se aproveita – Freud / Lou Andreas-Salomé. Correspondência completa, Editora Imago. O Globo, Psiquiatria, Domingo, 23 novembro 1975, p. 5.

 

7.3.11.  A meio caminho entre o clássico e o moderno – Ronald de Carvalho, O espelho de Ariel:  poemas escolhidos.  Poesia e ensaio.  Ed. Nova Aguilar/MEC. O Globo, Domingo, 20 junho 1976, p. 9.

 

7.3.12.  Um diálogo a quatro mãos, O diário faz contraponto – Armadilha para Lamartine, Carlos e Carlos Sussekind. Romance.  Editora Labor do Brasil. O Globo, 2º Caderno, 8 julho 1976, p. 45.

                                                                                 

7.3.13.  Afastando as nuvens do céu de Sousândrade – Frederick G. Williams, Sousândrade: vida e obra. Trabalho histórico-biográfico. SIOGE, São Luís do Maranhão. O Globo, Livros, 10 abril 1977. P?

 

7.3.14. Violência e lobisomens: uma novela crítica.  Lourenço Diaféria, Berra coração. O Globo, 2º Caderno, 14 agosto 1977, p. 7.

 

7.3.15. Eram modernistas os escritores gaúchos? – Lígia C. Moraes Leite: o “caso” gaúcho.  Ensaio Literário, Editora Ática. O Globo, 28 janeiro 1979. P?

 

7.3.16. Duas vidas: o marquês e o revolucionário – Fernando Peixoto.  Sade, vida e obra.  Estudo biográfico, Editora Paz e Terra. O Globo, 25 março 1979. P?

 

7.3.17.  Mulher não tem querer, dizia Vó Menina – Heloneida Studart.  O pardal é um pássaro azul.  Romance, Editora Civilização Brasileira. O Globo, 8 abril 1979. P?

 

7.3.18.  Gesto, palavra – a linguagem do teatro – J. Guinsburg, J. Teixeira Coelho Neto e Reni Chaves Cardoso (org.), Semiologia do teatro. Ensaios, Editora Perspectiva/Secretaria de Cultura, Ciência e Tecnologia de Estado de São Paulo, in O Globo, 22 abril 1979. P?

 

7.3.19.  O teatro nas escolas secundárias de Londres – José Antônio Domingues.  Teatro e educação: uma pesquisa. MEC/DAC-FUNARTE / SNT. O Globo, 3 junho 1979. P?

 

7.3.20.  Ciência, Ideologia, Psiquiatria, Linguagem – Gisálio Cerqueira Filho, Reflexões em torno de uma teoria do discurso político.  Ensaio.  Editora Achiamé. A. A. Serra, Cristina Rauter Pereira:  A psiquiatria como discurso político e Os carreiristas da indisciplina.  Ensaio, Editora Achiamé.  Regina L. de Moraes Morel.  A pesquisa científica e seus condicionamentos sociais.  Ensaio.  Editora Achiamé. Michel Misse. O estigma do passivo sexual. Ensaio.  Editora Achiamé. O Globo, 10 junho 1979. P?

 

7.3.21.  Revisão revisitada. Sobre Revisão de Sousândrade. 2ª ed. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1982. Leia Livros (SP), 15 outubro 1982, Ano 5, 51, p. 11-2.

 

7.3.22.  Cores e palavras, José Paulo Moreira da Fonseca. Jornal Estilo (RJ), 3 julho 1984, 3, p. 4.

 

7.3.23.  Como vai a literatura feminina?  (Cacos para um vitral, de Adélia Prado), Revista do Brasil (RJ), Governo do Estado do Rio de Janeiro, Ano 2, 4, 1985, p. 124-25.

 

7.3.24.  A descrição do “Velho Sul” do ponto de vista da  mulher – Joyce Carol Oates. Um jardim de delícias, romance. O Globo (RJ), 2º Caderno, 29 junho 1986, p. 9.

 

7.3.25.  O drama em miniatura.  Forma impecável, humor – Tchekov. O homem no estojo, contos.  São Paulo, Global.  O Globo, 2º Caderno, 17 agosto 1986, p. 9.

 

7.3.26.  Mito feminino da felicidade em análise – Sônia Nolasco. Você jurou que eu ia ser feliz, contos. O Globo, 2º Caderno, 21 setembro 1986, p. 9.

 

7.3.27. Crítica literária – Voo rápido.  Jair Ferreira dos Santos. O que é pós-modernismo, ensaio. A Ponte (Maceió), Ano 2, 2, outubro 1986, p. 10.

 

7.3.28.  Merrell, Floyd. Deconstruction reframed. Humanidades (Brasília), Editora da UnB, nov.-jan., 1986-87, Ano 3, 11, p. 120-1.

 

7.3.29. Obra menor de um grande autor – Anatole France. À sombra do olmo, romance. O Globo, 2º Caderno, 8 fevereiro 1987, p. 9.

 

7.3.30. Panorama da poesia negra – A razão da chama, org. Oswaldo de Camargo. O Globo, 2º Caderno, 15 fevereiro 1987, p. 9.

 

7.3.31. Impecáveis versos clássicos – Oswaldino Marques. O prisma e o arco-íris, poesia.  O Globo, 2º Caderno, 1º março 1987. p. 9.

 

7.3.32. Yourcenar fala em mitos, história.  Em entrevista. Patrick de Rosbo. Entrevistas com Marguerite Yourcenar. O Globo, 2º Caderno, 8 março 1987. p. 9.

 

7.3.33. Duas vozes femininas – Helena Parente Cunha, Cem mentiras de verdade. Sônia Coutinho, O último verão de Copacabana, contos. A Ponte (Maceió), Ano 3, 3, abril 1987, p. 5-6.

 

7.3.34. Balanço do ano literário de 1986 no Brasil. Colóquio-Letras, Lisboa, Fundação Calouste-Gulbenkian, 96, março-abril 1987, p. 34-5.

 

7.3.35. Haroldo Maranhão, Jogos infantis. Colóquio-Letras, Lisboa, Fundação Calouste-Gulbenkian, 97, maio-junho 1987, p. 135-6.

 

7.3.36.  Neil de Castro, As pelejas de Ojuara. Colóquio-Letras, Lisboa, Fundação Calouste-Gulbenkian, 97, maio-junho 1987, p. 136-37.

 

7.3.37.  A contracultura e suas ‘trutas’. Pescando truta na América, romance de Richard Brautigan. O Globo, Livros, 5 maio 1991, p. 5.

 

7.3.38. Verdades e mentiras de Roth, Mentiras, Philip Roth. O Globo, Livros, 9 junho 1991, p. 6.

 

7.3.39.  “Generosa rebeldia”.  George Sand, de Huguette Bouchardeau.  Tradução de Mônica Stahel.  São Paulo, Martins Fontes, 1992. 198 p. Idéias – Livros e Ensaios 292. Jornal do Brasil, 2 maio 1992, p. 5.

 

7.3.40.  “Poesia, loucura, morte” (Sylvia Plath). Jornal do Brasil, Idéias/Livros, 343, 24 abril 1993, p.12.

 

7.3.41. “Prazer e tédio nas vitrines de Copacabana”.  Uma certa felicidade.  Sonia Coutinho.  Jornal do Brasil, Idéias/Livros, 26 março 1994, p. 3.

 

7.3.42. “A perigosa rotina de uma paixão”.  Paixão simples.  Annie Ernaux, Objetiva, 1994.  Trad. Adalgisa Campos da Silva. Jornal do Brasil, Idéias/Livros, 23 abril 1994, p. 3.

 

7.3.43. “As casas de Helena”. Jornal do Commercio, Cultura, Livros e Leituras, domingo, 9, segunda-feira, 10 junho 1996. p. A-17.

 

7.3.44. “Um passeio carioca pela chanchada”. Aderbal Freire Filho renova a cena do Rio a partir da Praça Tiradentes. Jornal do Commercio, Sábado, “Em cartaz/teatro”, 29 junho 1996. p. B-11.

 

7.3.45. “Beatriz Luz: o traço construtivista-oriental”. Jornal do Commercio, Caderno E, “Artes Visuais”, domingo, 30 junho, segunda-feira, 1julho 1996, p. E-8.

 

7.3.46. “A mulher na representação bíblica e cabalística”. Correio, Niterói, Ano 2, n. XLIII, 6 a 9 dezembro 1997. p. 3.

 

7.3.47. “Outra ilha cheia de seus demônios”. Idéias/Livros. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, sábado, 22 maio 1999. p. 2.

 

7.3.48. “Satiricon sem profundidade. João Ubaldo Ribeiro faz referências aos clássicos da libertinagem, mas os esvazia de conteúdo”. Idéias/Livros, Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, sábado, 19 junho 1999: Ano 109. p. 5. Também em Jornal de Poesia, “Satiricon sem profundidade. A casa dos budas ditosos. João Ubaldo Ribeiro. Objetiva, 163 páginas. www.secrel.com.br/jpoesia.

 

7.3.49.  “Uma seresteira do verso e da prosa”. Autora mistura sua lírica ingênua e sentimental ao timbre forte de uma escrita feminina e corajosa. Caderno especial dedicado a Cora Coralina, com chamada na primeira página. Jornal do Brasil, Idéias, sábado, 12 janeiro 2002. p. 3.

7.3.50. “Antologia didática de Sousândrade. Nova edição de livro dos irmãos Campos é importante contribuição à obra do poeta”. Rio de Janeiro, Jornal do Brasil, Caderno Idéias, sábado, 1º fev. 2003, p. 4.

 

7.3.51. “Rubem Fonseca – A grande arte. Romance. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1983. 296. Análise do romance apresentada no Programa Sem Censura, da TV-Educativa. 19 março 2003.

 

7.3.52. “O moto-contínuo”. Panorama da Palavra, Jornal de Literatura, (RJ),  Ano 5, n. 39, julho 2003: p. 3. Sobre o livro de poemas homônimo, de Márcio-André – aluno da UFRJ       . Ver http://marcioandre.confrariadovento.com.

 

7.3.53. Entrevista gravada e inserida no filme “Passeio ao farol”, realizado por Daniella Fonseca sobre Virginia Woolf com base na tradução do livro de Virginia Woolf, traduzido por Luiza Lobo. 2004.

 

7.3.54. Participação no programa “Rio, cidade de leitores”, sobre A soma dos dias, de sabel Allende, Invenção e memória, de Lygia Fagundes Telles e Minha vida de menina, de Helen Morley, com a repórter Leila Richers e outra convidada sobre Allende, Minha vida de menina, etc no programa “Rio, uma cidade de leitores”, no Multirio, da Secretaria Municipal de Educação, e a Prefeitura da cidade, da Band-Rio, Canal 21, e Canal 14 da Net, Prefeitura e Secretaria Municipal de Cultura, Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. 27 agosto 2009.

 

7.3.55. Entrevista ao jornal O Estado, São Luís, sobre O Guesa (Ponteio/Academia Maranhense de Letras, 2012), em 12 junho 2012.

 

7.3.55. Entrevista publicada no jornal O Lince, Aparecida, SP, Nova Fase, ano 7, nº 50, mar/abril 2013, p. 10-11. Chamada, p. 1.

 

7.3.56. “Sousândrade em palestra”, O Estado do Maranhão, Suplemento Alternativo, Luís, 16 junho 2013. p. 5.

 

7.3.57. Resenha de Giovanni Ricciardi (l’Orientale, de Nápoles), sobre Terras proibidas in Projeto on line Literatura e Cultura: http://www.litcult.net. 2013-1.

 

7.3.58. Orelha para o livro de Marcia Cavendish Wanderley, Mar de dentro, Poemas. Rio de Janeiro, Editora da Palavra, 2015. ISBN 978-85-98348-30-8. 78 p.

 

 

 

 

7.4.  CRÔNICAS E ARTIGOS JORNALÍSTICOS

 

7.4.1.  Santa Teresa, um bairro em vários tempos, in Caderno B, Jornal do Brasil, 9 junho 1972.

 

7.4.2.  Hoje é dia de rock rural, in Roling Stone, Rio de Janeiro, 18 julho 1972.

 

7.4.3.  Ruas de paz no ruído da cidade, in Caderno B, Jornal do Brasil, 26 julho 1972.

 

7.4.4.  Um clube muito sonoro, in Caderno B, Jornal do Brasil,  27 julho 1972. P?

 

7.4.5.  A difícil busca do passado, in Caderno B, Jornal do Brasil, 4 agosto 1972. P?

 

7.4.6.  O longo caminho do curto, in Caderno B, Jornal do Brasil, 21 agosto 1972. P?

 

7.4.7.  Os discos e a psicologia de Jung, in Planeta,            São Paulo, Editora Três, nº 9, maio 1976, p. 40-3.

 

7.4.8.  Entrevista com a equipe de José, em presença de Ferreira Gullar e Silviano Santiago, José – Revista de Literatura, crítica e arte. Rio de Janeiro, Fontana, nº 9, dezembro 1977, p. 2-17.

 

7.4.9. Entrevista com Filipe Serrano sobre o livro Segredos públicos. Os blogs de mulheres no Brasil (Rocco, 2007), “A noção rígida do público e privado fazia parte de uma sociedade que se rompeu”, 31 julho 2009. Link. Estadão.com.br. Seção Internet, Cultura digital, Rede social, Blog. Republicado no Estado de São Paulo.

7.4.10. Entrevista a Danielle Fonseca, cineasta, que utilizou a tradução de Luiza Lobo para a realização de seu filme “Rimas de ventos e velas”. A tradutora discute Virginia Woolf nesta entrevista. http://www.veropoema.net/interna.php?page=5&action=show&id=699,

 

7.4.11. Em 27 de agosto de 2009, Programa Multirio, da Secretaria Municipal de Educação, e a Prefeitura da cidade, da Bandrio, Canal 21, e do Canal 14 da Net, Prefeitura e Secretaria Municipal de Cultura, “Rio, cidade de leitores”, com a discussão do tema A soma dos dias, de sabel Allende, Invenção e memória, de Lygia Fagundes Telles e Minha vida de menina, de Helen Morley, com a repórter Leila Richers e outra convidada.

 

Diversas entrevistas na rádio MEC, com Nísea Nóbrega no Programa Poesia do começo ao fim, 02 julho 1983, às 15h30m, sobre Sousândrade, poesia negra, e outros temas.

 

Rádio CBN, de 2 julho 1993, com Amaury Santos, na rádio local de Alagoas, programa de televisão em Porto Alegre, São Luís, Rio de Janeiro etc., como por exemplo,

 

Entrevista de dez minutos à Rádio CBN em 10 dezembro de 2008 sobre o próprio livro Segredos públicos. Os blogs de mulheres no Brasil. Rio de Janeiro, Rocco, 2007. ISBN: 978-85-325-2119-4.

 

Diversas entrevistas na imprensa on-line, Gazeta do Povo (Curitiba), para press-releases, Globo on-line, Boletim da FAPERJ, a respeito dos dois livros publicados.

 

Diversas entrevistas em programas de televisão, com depoimentos sobre literatura. , como por exemplo no Programa Multirio, da Secretaria Municipal de Educação, e a Prefeitura da cidade, da Band-Rio, Canal 21, e do Canal 14 da Net, Prefeitura e Secretaria Municipal de Cultura, entrevista “Rio, cidade de leitores”, sobre A soma dos dias, de sabel Allende, Invenção e memória, de Lygia Fagundes Telles e Minha vida de menina, de Helen Morley, com a repórter Leila Richers e outra convidada. 27 agosto 2009.

 

 

 

         

7.5.  CONTOS

 

7.5.1.  De como me transformei em repasto de morcegos malvados, in Tintim, Rio de Janeiro, Bruguera, 1968, 4, p. 2.

 

7.5.2.  Triste fim de urubu, in Tintim, Rio de Janeiro, Bruguera, 1968, 8, p. 2.

 

7.5.3.  O casal sem cabeça, in Tintim, Rio de Janeiro, Bruguera, 1968, 12, p. 2.

 

7.5.4.  De como me transformei em repasto de morcegos malvados (texto integral), in Antologia de contistas novos, org. Moacir C. Lopes, Rio de Janeiro, INL / MEC 1971 (Coleção Novíssimos), 2 v, v. 1, p. 23-35.

 

7.5.5. O truta trauteador, in José – Literatura, crítica e arte, Rio de Janeiro, Fontana, agosto 1976, 2, p. 10-1.

 

7.5.6.  O Mestre Radin e seu falso cadafalso, Ficção – Histórias para o prazer da leitura, Rio de Janeiro, Nova Perspectiva, setembro 1976, 9, p. 42-5.

 

7.5.7. As hamadríadas e a quíntupla coluna de Dédalo, José, Rio de Janeiro, Fontana, novembro / dezembro 1976, 5/6, p. 38-40.

 

7.5.8.  O apito, in José, Rio de Janeiro, Fontana, dezembro 1977, 9, p. 49-51.

 

7.5.9.  Um dia de cão, Jornal de Ipanema, Rio de Janeiro, 29 fevereiro – 13 março 1980, Ano 15, 304, p. 22.

 

7.5.10.  Aqualungue escafandro, Revista Brasileira de Língua e Literatura, Rio de Janeiro, ano 2, 4, 2º  trimestre 1980, p. 40-1.

 

  • Caipora, Jornal Psi, Rio de Janeiro, Ano 1, 4 [1981], p. 23.

 

  • Estranha aparição, in revista Ficções. Rio de Janeiro, Sette Letras, Ano II, n. 3, 1o semestre 1999, p. 22-33. ISBN 85-325-1180-5.

 

  • “La guerra de los orichas”, in revista Revolución y Cultura, Habana, Cuba, n. 4, julio-agosto 2000, p. 40-4. Também em www.(cubarte).cult.cu/publi/revcu. 2001.

 

  • Leitura de contos no Teatro Cândido Mendes – Ipanema – em setembro, novembro de 2002.

 

  • “Bola na caçapa”, in SIDARTA, Jornal de Artes e Personagens, ed. Sonia Coutinho, blogger, 11 julho 2004. p. 5-6.

http://www.sidarta.blogger.com.br/2004_04_11_archive.html.

 

  • Contos: Gerhild Reisner, “Ubersetzung: Die erste Nacht”, tradução do conto de Luiza Lobo “A primeira noite”, 49-56. “Auro”, tradução do conto “Auro”, 57-64. In: Reisner, Gerhild; Prantner, Elisabeth. Mosaik aus dem Innersten. Neue Erzählprosa lateinamerikanischer Autorinnen. Wien, Munster, Lit, 2007. (Lateinamerikanistik Band 6). ISBN: Österreich: 978-3-7000-0694-7; Deutschland: 978-3-8258-040-9. 257 p.

 

  • Conto “Mestre Radin e seu falso cadafalso” (Master Radin and his False Cadafalse), traduzido por Ashley Brown, in Maria Angélica Guimarães Lopes, ed. The Brazilian Short Story in the Late 20h Century. A Selection from 19 Authors, by. Mary L. Daniel (contributor). Lopes, 1-10. New York, Edwin Mellen Press, 2009. ISBN 978-0-7734-4904-6 – Index 0-7734-4904-3. p. 99-104. 200 p.

 

 

 

7.6.  POEMAS

 

7.6.1.  Gravatá verde, Mar-elo ge-mente, Carro amarelo gema e Voragens, in Ex-Poesia I, Mestrado PUC / RJ, 1974. mimeo).

 

7.6.2.  Devassa(do) poeta, Colóquio-Letras, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, janeiro 1976, nº  29, p. 76-79.

 

7.6.3.  Certão e Desertão, Tribuna da Imprensa, Suplemento Literário, 27-8 novembro 1976, p. 5.

 

7.6.4.  Canções do exílio, in Colóquio-Letras, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, março-abril 1979, nº 48, p. 54-5.

 

7.6.5.  Poemas, in Folhetim, São Paulo, 10 junho 1984, nº 386, p. 2.

 

7.6.6.  “Multimpressão”, in Antologia da nova poesia brasileira, org. Olga Savary, São Paulo, Hipocampo;  Rio de Janeiro, FUNARTE, 1992. 334 p. p. 176.

 

 

 

 

7.7.  TRADUÇÕES

 

7.7.1.  Rex Dolphin, Quanto custa um cadáver. Rio de Janeiro, Bruguera, s. d.

 

7.7.2. Úrsula K. Legun, Viagem no tempo.  Rio de Janeiro, Bruguera, s. d.

 

7.7.3.  Daniel F. Galouye, Os invasores andam entre nós.  Rio de Janeiro, Bruguera, s. d.

 

7.7.4.  Virginia Woolf, O Farol. Rio de Janeiro, Record, 1968.

 

7.7.5.  James Hogg, Memórias e confissões íntimas de um pecador justificado. Rio de Janeiro, Bruguera, 1969.

 

7.7.6.  Edgar Allan Poe, Contos de horror. Rio de Janeiro, Bruguera, 1970.

 

7.7.7.  Jane Austen, Persuasão. 1ª ed. Rio de Janeiro, Bruguera, 1971.

 

7.7.8.  Arthur C. Clarke, Brian Aldiss, Isaac Asimov, Frederic Brown. Arte futura. Rio de Janeiro, Bruguera, 1971.

 

7.7.9.  William Golding, O deus escorpião. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, [1974].

 

7.7.10.  Maria Stela V. Fonseca e Moema F. Neves, org. Sociolinguística, William Labov, Estágios na aquisição do inglês standard.  Paul L. Garvin e Madeleine Mathiot, A urbanização da língua guarani – um problema de língua e cultura. Rio de Janeiro, Eldorado Tijuca, 1974.

 

7.7.11.  Iuri Tynianov, O ritmo como fator  construtivo do verso;  Mikhail Bakhtin, A tipologia do discurso na prosa;  Allen Tate, A tensão em poesia; W. K. Wimmsatt, Jr. e M. C. Beardsley, A falácia intencional;  Alfred Schutz, Dom Quixote e o problema da realidade.  In: Luiz Costa Lima, org. Teoria da literatura em suas fontes: estilística, formalismo russo, new criticism, estruturalismo, análise sociológica. 1ª ed.  Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1975. p. 200-08, 209-23, 271-81, 282-92.

 

7.7.12.  Tradutora de verbetes da Editora Delta-Larousse por períodos descontínuos – 1972-1979.

 

7.7.13. Por nada e LMFBR, de Gary Snyder, in Nova poesia norte-americana.  Quingumbo,  Antologia, São Paulo, Escrita, 1980.

 

                                                                                             

 

7.7.14.  Abraham Moles, Teoria dos objetos. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro, 1980.

 

7.7.15.  Virginia Woolf, Passeio ao farol. 2ª ed. Rio de Janeiro,  Nova Fronteira, 1982.  (Com prefácio).

 

7.7.16. Iuri Tynianov, O ritmo como fator construtivo do verso, Allen Tate, Tensão em poesia, W. K. Wimsatt, Jr. e M. C. Beardsley, Jr., A falácia intencional, Mikhail Bakhtin, A tipologia do discurso na prosa.  In: Luiz Costa Lima, Teoria da literatura em suas fontes, 2a ed., Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1983, 2 v. v. 1, p. 449-61, 462-84;  v. 2, p. 70-85, 86-102, 191-213.

 

  • Lord Byron, Céu e Inferno. Com prefácio. Rio de Janeiro, Secretaria Municipal do Rio de Janeiro, Fundação Rio, 1984.

 

7.7.18. José Guilherme Merquior, “Aranha e abelha”, Revista do Brasil, ano 2, nº 5, 1986. Trad. de Postmodernim, org. Lisa Appignanesi, London, Free Association Press, 1989. Ver http://www.academia.org.br/cads/36/jose2. p. 11.

 

7.7.19.  Virginia Woolf. Passeio ao farol. 3a ed. Rio de Janeiro, Rio Gráfica, 1987.

 

7.7.20.  Filmes didáticos – Enciclopédia Britannica, fevereiro-março 1987.

 

7.7.21.  Virginia Woolf, O Farol.  4ª ed. Introdução de Luiza Lobo.  Rio de Janeiro, Tecnoprint, 1993.

 

7.7.22.  Katherine Mansfield, A festa ao ar livre.  Introdução de Luiza Lobo. Rio de Janeiro, Tecnoprint, 1993.

 

7.7.23.  Anthony Burgess, Qualquer ferro velho. Rio de Janeiro, Rocco, 1994.

 

7.7.24.  Robert Burns, 50 poemas, em edição bilingue, com introdução e notas.  Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1994. (Ver itens 7.1.9. e 7.2.69.).

 

7.7.25.  Jane Austen, Persuasão, 2a ed., com introdução, Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1996. 306 p.

 

  • Ian McEwen, O jardim de cimento, Rio de Janeiro, Rocco, 1996. 132 p.

 

  • Katherine Mansfield, Os filhos do falecido coronel e outras histórias. Trad. Luiza Lobo e Maura Sardinha. Rio de Janeiro, Ediouro, 1997. 128 p.

 

Fim.

 

 

 

 

 

 

APÊNDICE: REPERCUSSÃO DAS ATIVIDADES

 

 

  1. CRÍTICA EM LIVROS, PERIÓDICOS E JORNAIS SOBRE LUIZA LOBO

 

I.1. Roberto Ventura, Luiza Lobo e o abismo da linguagem. Tribuna da Imprensa (RJ), Suplemento Literário, 23-24 outubro 1976, p. 3.

 

I.2.  Lucia Helena, O artífice maniprestopulador. Tribuna da Imprensa, Suplemento Literário, 30-31 outubro 1976.

 

I.3.  Vitor Sznejder, Ultrapassar a linguagem para alcançar o ser. O Globo (RJ), 1976.

 

I.4. J. W. (Jorge Wanderley), Os perigos resolvidos de Luiza. José (RJ), 4, outubro 1976, p. 46.

 

I.5.  José Maria Cançado, Fio rompido – Por trás dos muros. Jornal do Brasil, Livros, 16, 23 janeiro 1977, p. 8.

 

I.6. Maria Angélica Lopes, “Lobo, Luiza. Por trás dos muros: arte-fábulas. Rio de Janeiro, Editora Brasília, 1976”. Handbook of Latin American Studies, da Biblioteca do Congresso dos EUA, vol. 40, Univ. of Texas Press, 1978.

 

I.7.  Maira Parulla, Sousândrade:  uma leitura estruturalista. O Globo, 23 setembro 1979, p. 6.

 

I.8.  Beneval de Oliveira, Tradição e ruptura: O Guesa de Sousândrade. Ciências Humanas, Livros em Revista, (RJ), v. 4, 12, janeiro-março 1980, p. 63-4.

 

I.9.  Danusia Barbara, Em pedaços, sobre Voo livre, Jornal do Brasil. Caderno B, 25 abril 1982, p. 5.

 

I.10.  Wanilton Cardoso Affonso, Noveletas em texto complexo e simbólico (resenha sobre Voo livre). O Globo, 2o Caderno, 27 junho 1982, p. 5.

 

I.11.  Maria Beatriz Pacca, Entre erros e acertos, Voo livre. Leia Livros (SP), Ano 5, 48, 15 julho-14 agosto 1982, p. 6.

 

I.12.  Paulo Rehder, Sousândrade revisitado através de O Guesa, Bolsa (RJ), 751, 7 julho 1986, p. 29.

 

 

 

 

 

I.13.  Jorge de Sá, Marginal iluminado. Resenha sobre Épica e modernidade em Sousândrade. Jornal do Brasil, Caderno B/Especial, 27 julho 1986, p. 10. [Chamada 1. Caderno, p. 1].

 

I.14.  Wilson Martins, Homens de marca (I). (Referência a Épica e modernidade em Sousândrade), Jornal do Brasil, Caderno B/Especial, 2 novembro 1986, p. 4.

 

I.15.  Marcos de Farias Costa, Sobre os Romantismos. Luiza Lobo. Teorias poéticas do Romantismo, Gazeta de Alagoas (Maceió), Caderno B, 9 agosto 1987, p. 4.

 

I.16.  Régis Bonvicino, O Romantismo na visão de seus teóricos maiores.  Luiza Lobo.  Teorias poéticas do Romantismo. Folha de São Paulo, 5º Caderno, 30 agosto 1987, p. A-45.

 

I.17.  Valesca Assis Brasil, “Literatura em dois tempos” – nota sobre Teorias poéticas do Romantismo, de Luiza Lobo. O Timoneiro Canoas, R.S.), Livros, 4 a 10 dezembro 1987, Ano 22, 1204: p. 18.

 

I.18.  Resenha sobre Teorias poéticas do Romantismo em Contraponto, Boletim bimestral da Associação Brasileira de Literatura Comparada (Porto Alegre), Ano 1, 1, 1987, p. 6-7.

 

I.19.  Leland Guyer, resenha sobre Épica e modernidade em Sousândrade. World Literature Today (Oklahoma), The University of Oklahoma, Seção Criticism, v. 62, 1, winter 1988, p. 109.

 

I.20.  David Brookshaw, a respeito do Dictionary of Brazilian Literature.  Ed. Irwin Stern, London and Westport, Greenwood Press, 1988. [O dicionário inclui verbetes e referências a Luiza Lobo], Portuguese Studies, Londres, v. 6, p. 220-21.

 

I.21.  Latuf Mucci, Resenha sobre “Textos fundamentais de poética do Romantismo. Luiza Lobo”.  Teorias poéticas do Romantismo,  Suplemento Literário de Minas Gerais, 1344, Belo Horizonte, 18 novembro 1989.

 

I.22. Ligia Vassalo, Resenha sobre Luiza Lobo, Épica e modernidade em Sousândrade. Linguagem (RJ), Revista Brasileira de Estudos de Língua e Literatura, 7, Rio de Janeiro, Presença, 1990, p. 126-27.

 

I.23.  Verbete sobre Luiza Lobo na 10a edição do Who’s who in the World, Macmillan Directory Division, Wilmette, Illinois, c1990. 11th ed., c1992. 12th ed., c1994.

 

I.24. Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa, org. Enciclopédia de literatura brasileira.  Rio de Janeiro, MEC-Fename-FAE, 1990. 2 v. v. 2, p. 819-20. 2ª ed. Rio de Janeiro, MEC/INL/ABL, Global, 2000. 2 v. v. 2.

 

I.25.  Resenha sobre o Bloomsbury guide to women’s literature, org. por Claire Buck, London, Bloomsbury, 1992.  (Luiza Lobo contribuiu com introdução e 150 verbetes de escritoras latino-americanas). Times (London), 9 setembro 1992, p. 5.

 

I.26. Leonardo Fróes, Balaio cheio de versos.  Opção pelo social em antologia da obra de poetas nascidos a partir de 45. Antologia da nova poesia brasileira. Poesia. Rio de Janeiro, RJ, 1992. (Contém poema “Multimpressão”, de Luiza Lobo). Jornal do Brasil, Idéias/Livros e Ensaios, 21 novembro 1992. p. 11.

 

I.27. Felipe Fortuna, “Minienciclopédia literária é irregular”. Resenha sobre Palavras da crítica, org. José Luís Jobim.  (Contém capítulo “Leitor”, por Luiza Lobo). Folha de São Paulo, Livros, Caderno 6. 7 março 1993. p. 10.

 

I.28.  Heloísa Buarque de Hollanda & Lúcia Nascimento Araújo. Verbete sobre Luiza Lobo. Ensaístas brasileiras.  Mulheres que escreveram sobre literatura e artes de 1860 a 1991. Rio de Janeiro, Rocco, 1993. p. 176-77.

 

I.29.  Agenda permanente da Literatura Brasileira.  Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional, 1993. Luiza Lobo, Dia 17 janeiro. s.p. (Ver Índice).

 

I.30. A Book of Days for the Brazilian Literary Year. Rio de Janeiro, Fundação Biblioteca Nacional, 1993. Luiza Lobo, Dia 17 janeiro. s. p.

 

I.31.  Fabiana Buitor Carelli, “Crítica desenterra literatura ‘feminina’ e ‘negra’”. Folha de São Paulo, Livros, Domingo, Caderno 6, 1º agosto 1993. p. 10.

 

I.32. Antônio Carlos Rocha, “O zen na universidade”. Tribuna da Imprensa (RJ), 3a feira, 5 outubro 1993. p. 4.

 

I.33. Antônio Carlos Rocha, “Luiza e Katherine”. A Razão (RJ), jornal mensal, Ano LXXVI, 2362. Outubro 1993.

 

I.34. Sérgio Augusto, “Burgess narra a destruição do século 20”. Folha de São Paulo, 15 maio 1994.

 

I.35. Muniz Sodré, “Som e fúria na sucata da história”.  O Globo, 15 maio 1994, p. 3.

 

I.36. Luiz Antonio Aguiar, “O sexo como verdadeiro motor da história”.  Jornal do Brasil, Idéias/Livros, 21 maio 1994, p. 3.

 

I.37. Anônimo, “Criticism without judgement”, by Luiza Lobo.  Essays. Editora Francisco Alves, 260. ISBN 85-265-0306-5. The Brazilian Book Magazine (RJ), Ano 4, 6, October 1994, p. 60.

 

I.38. André Luiz Barros, “O poeta dos beberrões”. Jornal do Brasil, Caderno B, 3a feira, 27 dezembro 1994. p. 6.

 

I.39. Sergio Augusto, “Editora resgata poesia de Robert Burns”. Folha de São Paulo, Ilustrada, sábado, 31 dezembro 1994. p. 5-7.

 

I.40. Dalma Nascimento, “Um poeta a serviço dos deuses”. Tribuna da Imprensa, Ano 46, n° 13.720, Suplemento Tribuna Bis, 2a feira, 23 janeiro 1995, p. 1.

 

I.41. Maria Angélica Lopes, “Lobo, Luiza. A maçã mordida: contos.” Handbook of Latin American Studies, da Biblioteca do Congresso dos EUA, vol. 54, Univ. of Texas Press, 1995.

 

I.42. Eduarda Zandron, org. Colaboração de Moacir C. Lopes e Xavier Dysarz, Escritores contemporâneos do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Casa de Cultura Lima Barreto; Sindicato dos Escritores do Estado do Rio de Janeiro, 1997. 284 p. p. 126-27.

 

I.43. Fernando Py, “Sexameron”. Diário de Petrópolis, Coluna Literatura, Terça-feira, 29 dezembro 1998. P. 6.

 

I.44. Verbete sobre Luiza Lobo. In: Dicionário de mulheres. Org. Hilda Agnes Hubner Flores. Porto Alegre, Ed. particular, 1998. 2ª ed. Porto Alegre, Nova Dimensão, 1999. 3ª ed. aumentada: a sair 2011.

 

I.45. Márcia Cavendish Wanderley, “Prosa de ficção feminina no Brasil pós-64”. Revista da FERP, Biblioteca Universitária Dr. Jair de Paula. Volta Redonda, FERP, 1998. p. 31-37. p. 37. Citação Luiza Lobo, como nova voz na literatura da década de 1980.

 

I.46. Fernando Py, “Sexameron”. Homepage do NIELM – http://w3.openlink.com.br/nielm. Boletim. 1999.

 

I.47. Marcia Cavendish, Ensaio lido sobre a ficção brasileira pós-64, com análise dos livros e ensaios de Luiza Lobo em mesa-redonda no VIII Seminário Nacional Mulher na Literatura. Anpoll – Associação Nacional de Professores e Pesquisadores de Pós-Graduação em Linguística e Literatura. Salvador, 27 a 29 setembro 1999. 28 setembro 1999.

 

I.48. Maria Aparecida Fontes, “Sexameron: Antropofagia e identidade cultural na pós-modernidade”. Ensaio lido em mesa-redonda sobre o livro de Luiza Lobo no VIII Seminário Nacional Mulher na Literatura. Anpoll – Associação Nacional de Professores e Pesquisadores de Pós-Graduação em Linguística e Literatura. Salvador, 27 a 29 setembro 1999. 29 setembro 1999.

 

1.49. Ashley Brown, “Robert Burns, 50 poems”. Trans. Luiza Lobo. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994. 335 pp. Bilingual edn. Studies in Scottish Literature, Ed. G. Ross Roy. Assoc. Ed. Lucie Roy. Department of English, University of South Carolina, Columbia, S. C., 1999, v. 31, p. 318-21.

 

I.50. Maria Aparecida Rodrigues Fontes, “Sexameron: antropofagia e identidade cultural na pós-modernidade”. Análise de Sexameron, livro de contos de Luiza Lobo e citação de ensaio de Luiza Lobo na bibliografia), Revista da FERP, Fundação Educacional Rosemar Pimentel. Volta Redonda, Ano 2, n. 2, novembro de 1999: p. 102-115.

 

I.51. Geysa Silva, “A subjetividade feminina entre o humor e a memória”, in: Ramalho, Christina; Lobo, Luiza: Soares, Angélica; Xavier, Elódia, org. Literatura e feminismo. Propostas teóricas e reflexões críticas. Rio de Janeiro, Elo, 1999. 256 p.

 

I.52. Daisy Stepansky, “Análise da literatura feminina”. Literatura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Org. Ramalho, Christina; Lobo, Luiza; Soares, Angélica; Xavier, Elódia. Literatura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Rio de Janeiro, Elo, 1999. Jornal do Brasil, Idéias, 10 junho 2000, p. 5. Cit. Luiza Lobo.

 

I.53. Maria Aparecida Rodrigues Fontes, “Antropofagia e identidade cultural na pós-modernidade; uma leitura de Sexameron, de Luiza Lobo”, contém análise de Sexameron, de Luiza Lobo, Ipotesi, Revista da Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, v. 4, n. 1, jan.-junho 2000, p. 27-36. ISSN 1415-2525.

 

1.54. Daizy Stepansky, “Análise da literatura feminina. Leitura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Org. Christina Ramalho; Lobo, Luiza; Soares, Angélica; Xavier, Elódia. Rio de Janeiro, Elo, 1999. 256 páginas. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, sábado, 10 junho 2000. Idéias, p. 5. Resenha sobre o livro, de 18 ensaios, cit. Luiza Lobo.

 

I.55. Marcia Cavendish Wanderley, “Prosa/rosa: presença feminina na literatura brasileira pós-64”, Gênero, Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero (NUTEG), UFF, 2000. Cadernos do NUTEG, v. 1, 2000. Referência à obra de Luiza Lobo. p. 21-27. p. 26.

 

  1. 56. Fernando Py, Estranha aparição. Jornal Popular da Baixada Fluminense, Ano VII, n. 222, 2 agosto a 8 agosto 2001.

 

1.57. Marcia Wanderley, “Estranhas histórias em que o racional cede ao animal”. Estranha aparição. Luiza Lobo. Rocco. 159 páginas. Jornal do Brasil, sábado, 14 abril 2001. Idéias, p. 4.  Resenha sobre o livro de contos de Luiza Lobo.

 

I.58. Jair Ferreira dos Santos, “Amor, morte e traição e pitadas de psicanálise. Luiza Lobo, em seus contos, fala de jogos de afeto e perversão”. Estranha aparição, de Luiza Lobo. Rocco. 159 páginas. O Globo, sábado, 14 abril 2001. Prosa e Verso, p. 3.

 

1.59. Dawn Duke, (University of Pittsburgh), “Hidden sensations of strength in Afro-Brazilian writings: a look at Esmeralda Ribeiro’s Malungos e milongas, “A vingança de Dona Léia” and “Guarde segredo”. www.lehman.cuny.edu/ciberletras/. p. 2, 10, 11.

 

1.60. Biobibliografia, trecho do conto de LL e resenha da capa do livro por Sebastião Uchoa Leite, “Estranha aparição”, em www.clickescritores.com.br/pag escrit/luiza05.htm. 2000.

 

I.69.  Flores, Hilda Hubner. Verbete sobre Luiza Lobo. Dicionário de mulheres. Porto Algre, 1999. 2a ed. Novo dicionário de Escritoras brasileiras. Rio de Janeiro, Literis, 2000.

 

I.61. Maria Aparecida Rodrigues Fontes, “Sexameron: antropofagia e identidade cultural na pós-modernidade”. Publicado em CD-Rom. VIII Seminário Nacional Mulher e Literatura, 1999. Org. Ivia Alves. Salvador, Universidade Federal da Bahia, 2001. 5 páginas.

 

I.62. Giselle Martins de Oliveira, “Da peste do século XIV à peste do século XX – uma circularidade através do Decameron e do Sexameron”, in http://www.letras.ufrj.br/litcult. 2002 -.

 

I.63. Nonato Gurgel, “Relações entre espaço e escrita na Letra de Luiza Lobo”, 2º Encontro de Ciência da Literatura, 22 outubro de 2003. Impresso Literatura e Cultura, nº  3, 2002, revista on-line in http://www.letras.ufrj.br/litcult.

 

I.64. Gerhild Reisner, “Sexameron”, Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas. CD-ROM. 2001. Homepage letras.ufrj.br/litcult. 2002.

 

I.65. Verbete comentado sobre Luiza Lobo in: Coelho, Nelly Novaes. Dicionário crítico de escritoras brasileiras (1711-2001). São Paulo, Escrituras, 2002. 752 p. p. 379-80. ISBN 85-7531-053-4.

 

I.66. Maria Angélica Lopes, “Lobo, Luiza. Sexameron: novelas sobre casamentos. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1997” Handbook of Latin American Studies, da Biblioteca do Congresso dos EUA, vol. 58, Univ. of Texas Press, 2002. introdução sobre a autora, p.99; “O mágico”, p. 100-104.

 

 

I.67. Maria Angélica Lopes, “Lobo, Luiza. Estranha aparição. Rio de Janeiro, Rocco, 2000. 159 p.” Handbook of Latin American Studies, da Biblioteca do Congresso dos EUA, vol. 60, Univ. of Texas Press, 2003.

 

I.68. Maria Aparecida Rodrigues Fontes, verbete sobre Luiza Lobo in Enciclopédia de Escritoras Latino-americanas, on line, org. Eva Paulino de Sousa, 2004. Acesso: http://www.hope.edu/latinoamerica/authors.html.  London, Routledge.

 

1.69. Gerhild Reisner, “Der Spiel mit der Intertextualität: Luiza Lobo’s Erzähltbände Se-xameron und Estranha aparição”, 24-48; “Ubersetzung: Die erste Nacht”, tradução do conto de Luiza Lobo “A primeira noite”, 49-56. “Auro”, tradução do conto “Auro”, 57-64. In: Reisner, Gerhild; Prantner, Elisabeth. Mosaik aus dem Innersten. Neue Erzählprosa lateinamerikanischer Autorinnen. Wien, Munster, Lit, 2007. (Lateinamerikanistik Band 6). ISBN: Österreich: 978-3-7000-0694-7; Deutschland: 978-3-8258-040-9. 257 p. (Também contém traduções de Helena Parente Cunha, Introdução, 129-53, Tradução 154-59; 160-64, 165-70, e de Marina Colasanti, Introdução, 213-34, Tradução, 235-39, 240-46, 247-55).

 

I.70. Márcia Cavendish Wanderley, “O Dicionário de escritoras da Literatura Brasileira, de Luiza Lobo”, Revista Gênero, UFF (Niterói), 2007.

 

I.71. Publicação em jornais e no programa sobre a leitura de dois contos de Luiza Lobo, Lateinamerika-Institut, Salzburg, Áustria. Com Olga Sánchez Guevara. 22 outubro 2007.

 

I.72. Maria Aparecida Rodrigues Fontes, verbete sobre Luiza Lobo in Latin American Women Writers: An Encyclopedia. Ed-in-chief, Eva Paulino Bueno and María Claudia André. London, Routledge, 2008. Introd. xxvii, 610 p. ISBN: 0415979714 e 9780415979719.  Mais de 170 escritoras do século XVI ao XX. p. 286-287.

Ver também http://www.routledge-ny.com/enc/womenwriters

I.73. Sonia Roncador. Resenha de Sonia Roncador sobre o livro Segredos públicos. Os blogs de mulheres no Brasil. Rio de Janeiro, Rocco, 2007. ISBN: 978-85-325-2119-4. Por Sonia Rocandor. Revista Ellipsis, Journal of the American Portuguese Studies Association – Apsa, Univ. Massachusetts, USA, v. 6, 2008, outubro de 2008, p. 153-156. E-ISSN – 21529604. www.ellipsis-apsa.com/home.html

I.74. Márcia Cavendish Wanderley, Resenha: “Guía de escritoras de la Literatura Brasileña” [de Luiza Lobo], Revista Taller de Letras nº 44, Santiago de Chile, Pontifícia Universidade Católica do Chile, 1º sem. 2009. ISSN: 07160798. p. 183-186. Também em http://www.wordreference.com/espt

 

I.75. Marcia Cavendish Wanderley. “Luiza Lobo”. In: Mulheres. Prosa de ficção no Brasil 1964-2010. Rio de Janeiro, Ibis Libris. FAPERJ, 2011. Parte IV, p. 83-85. ISBN 978-85-7823-070-8.

 

I.76. “Um romance que passeia pela história de Vassouras”. Tribuna do Interior, Vassouras, 28 out. 2011. p. 9.

 

I.77. Marcia Wanderley, “As terras proibidas de Luiza Lobo”. Revista Brasileira de Filologia, RJ, ABRAFI, Ano 9, nº 9, 2011. p. 214-16. Também on-line.

 

1.78. Maria Angelica Lopes, “Terras proibidas”, Handbook of Latin American Studies, da Library of Congress, vol. 68. 2012. (Breve comentário sobre o livro).  ISBN: 978-0-292-73737-2.

 

I.79. Correia, Raimunda Maria Chaves. O perfil da mulher na obra Terras proibidas de Luiza Lobo. Anais do II Colóquio Internacional Literatura e Gênero. Relações entre gênero, alteridade e poder. ISBN 978-85-8320-071-0. Mestranda em Letras da UESPI, Universidade Estadual do Piauí. 11 p.

 

I.80. Nascimento, Dalma. Memórias em jornais. Rio de Janeiro, Tempo Brasileiro. Robert Burns, um poeta a serviço dos deuses e entrevista com Luiza Lobo, Tradutora de Robert Burns no Brasil. P.107-111. [Publ. Tribuna da Imprensa, Tribuna Bis, 24/01/1995.

 

 

 

II.  CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS SOBRE LUIZA LOBO

 

II.1.  Moacir C. Lopes, referência a Luiza Lobo.  In: Lopes, M. C. A situação do escritor no Brasil, Rio de Janeiro, Cátedra, 1978. p. 347, 413.

 

II.2.  Fotos e nota relativos a curso sobre Romantismo no Brasil, na Academia Maranhense de Letras. Revista da Academia Maranhense de Letras, São Luís, v. 11, agosto 1979. p. 64 ss., 146-7.

 

II.3.  Referência no livro do cordelista Expedito F. Silva, A história do I Congresso Nacional de Literatura de Cordel no Rio de Janeiro, Salvador, 14 março 1980. p. 5.

 

II.4.  Foto na Academia Maranhense de Letras a 28 julho 1979. In: José Chagas, Poesia reunida, São Luís, SIOGE, 1980.

 

II.5.  Referência de Mário Camarinha da Silva no Relatório I Congresso Estadual do Livro, Anais, por gerência do  projeto que originou o Congresso, Rio de Janeiro,  INELIVRO/FAPERJ/SUAM, 1980, p. 18.

 

II.6.  Referência de Paulo Bezerra, em nota, à tradução do mesmo trecho de Mikhail Bakhtin feita por Luiza Lobo.  In:  Bakhtin, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski, Rio de Janeiro, Forense-Universitária, 1981. p. 174.

 

II.7.  Referência de Antônio Tôrres, no discurso de posse no Pen Clube do Brasil, no Rio de Janeiro. O Pasquim (RJ), Ano 15, 750, 10-16 novembro 1983, p. 6.

 

II.8.  Referências e agradecimentos a Luiza Lobo, em verbetes e no prefácio e em bibliografias, no Dictionary of Brazilian Literature, org. Irwin Stern, Westport, Greenwood Press, 1988, p. XVII, 100, 327, 385.

 

II.9.  Referência a obras de Luiza Lobo, inclusive Teorias poéticas do Romantismo. Contraponto 3, Boletim bimestral da Associação  Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC), 1989, Porto Alegre, Ano 3, 1, p. 55-7.

 

II.10.  Zilá Berndt, in Remate de males.  São Paulo.  FALTAM DADOS.

 

II.11.  Escravidão e relações sociais no Brasil – Cadastro de produção intelectual (1970-1990).  Rio de Janeiro, Centro de Estudos Afro-Asiáticos, Imprinta, 1991. 259 p. p. 141.

 

II.12. Citações e agradecimento em Clarice Lispector:  A Bio-bibliography, org. Diane Marting, New York, Westport, Greenwood Press, 1993.  p. 47, 257. Agradecimentos p. xiii.

 

II.13.  Bolle, Willi. “Friedrich Schlegel e a estética do fragmento”.  In: Fundamentos da modernidade na literatura alemã.  Anais da VII Semana de Literatura Alemã. Faculdade de Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 1994. 63 p. p. 40-41.

 

II.14. Reis, Carlos. O conhecimento da literatura. Introdução aos Estudos Literários.  Coimbra, Almedina, 1995. Citações Retiradas do livro de Luiza Lobo, Teorias poéticas do Romantismo (1987). p. 426, 430, 434.

 

II.15. Reisner, Gigi. “Identitätsfindung durch Schreiben: das Bild der Geschlechterbeziehungen in der neuen brasilianischen Frauenliteratur”. Axel Schönberger, Hrsg. In: Geschlecterdiskurse in der modernen Literatur Brasiliens, Portugals, Angolas und der Kapverden. Frankfurt-am-Main, TFM; Domus Editoria Europaea, 1996. 2a. série, tomo 11. p. 305-24.Cit. p. 307, 312, 315, 317-18, 324.

 

II.16. “Latin American Women’s Writing. Feminist Readings in Theory and Crisis”. Notícia sobre edição da obra, org. por Anny Brooksbank Jones e Catherine Davies, da Clarendon Press, Oxford University Press, com 12 ensaios, inclusive de Luiza Lobo. Boletim  da Oxford U. Press, maio 1996.

 

II.17. Nadaf, Yasmin Jamil (org.), Catálogo de títulos sobre a mulher.  Cuiabá, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Mato Grosso, 1997. P. 34. Referência a “Dez anos de literatura feminina brasileira”, in Letras Hoje, v. 21, 4 dez. 1986.

 

II.18. “Geração beat”.  Jazz e poesia. Leitura da tradução do poema “Em troca de nada”, por Luiza Lobo, publicada em Quingumbo (antologia bilingue), org. Kerry S. Keys, São Paulo, Escrita. 2 setembro 1997.

 

II.19. “A brisa que sopra no mar da ficção – Editora Relume-Dumará investe na literatura nacionais de três autores consagrados no ensaio” e  “Ensaístas se sentem atraídos pela liberdade proporcionada pela ficção.  O Globo (RJ), Segundo Caderno, 1o novembro 1997, p. 6.

 

II.20. Nota sobre lançamento de Sexameron. Jornal do Brasil, Idéias/Livros, Agenda. 8 novembro 1997. p. 2.

 

II.21. Referência ao lançamento de Sexameron na Livraria Marcabru em 13 novembro 1997. Folha de São Paulo, Mais! Parte 5, 9 novembro 1997, p. 12.

 

II.22. Resenha sobre “Latin American Women’s Writing. Feminist Readings in Theory and Crisis”, org. por Anny Brooksbank Jones e Catherine Davies, da Clarendon Press, Oxford University Press, com 12 ensaios, inclusive de Luiza Lobo. Literary Studies from Oxford, 1997. Oxford, Oxford U. Press, 1997.

 

II.23. Citação de título de pesquisa “Escritoras do Rio de Janeiro – século XX”. Boletim Informativo 27, do XIII Encontro Nacional da ANPOLL – GT  A mulher na literatura. 1998. p. 20.

 

II.24. Citações em “Sousândrade”, in Iconoclastias Culturais, português e inglês, www15.vianetworks.com.br sobre Épica e modernidade em Sousândrade, de Luiza Lobo, e ensaio “Sousândrade desconhecido”, Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 11 junho 1980. p. 11.

 

II.25. Press release sobre Sexameron: novelas sobre casamentos. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 2000. www.editoras.com/relume/016034.htm.

 

II.26. Press release sobre Estranha aparição. Rio de Janeiro, Rocco, 2000. www.editoras.com/rocco/022338.htm. 2001.  Também no jornal impresso da Editora, com foto. Rocco News, set.-out. 2000, Ano 2, n. 25, p. 3.

 

II.27. Inclusão na Bibliografia de Sousândrade, in: Augusto de Haroldo de Campos in Revisão de Sousândrade, 3ª ed. São Paulo, Perspectiva, 2002.

 

II.28. Referência à descoberta por Luiza Lobo de Harpas eólias (1870), de Sousândrade, na Cornell University Library, in Frederick G. Williams e Jomar Moraes, Obra reunida de prosa e poesia, São Luís, Academia Maranhense de Letras, 2003. p. 25?.

 

II.29. João Carlos Pinto Dias (Org.). Para Nícia, com amor. Belo Horizonte, Asa de Papel, 2014. 389 p. il. ISBN 978-85-64158-80-1. Citações a Luiza Lobo e Terras proibidas, p. 232, p. 236, p. 237, p. 248-254.

 

II.30. Jomar Moraes, Pesquisa, org. e textos. Perfis acadêmicos. Academia Maranhense de Letras. São Luís, Edições AML, 2014. 196 p. ISBN 978-85-98274-56-0. Biografia membro-correspondente Caderia nº 12. p. 168-171; p. 6 e 144 – Lista dos Membros correspondentes.

 

II.31. Referência ao Guesa e a Luiza Lobo por Dalma Nascimento, Das neblinas e daas colheitas de um memorial. ISBN978-85-88724-92-1.Niterói, Parthenon, 2015. 91 p. p. 61.

 

Diversas referências em bibliografias, teses e dissertações.

 

 

 

 

III.  NOTÍCIAS, ENTREVISTAS E DEPOIMENTOS

 

III.1.  Referência a Prêmio de Tradução Agenor Soares de Moura, do Pen Clube do Brasil, dado a Luiza Lobo por tradução de O deus escorpião, de William Golding, in Jornal de Letras (RJ), Ano 18, n. 303, abril 1976, p. 1.

 

III.2.  Referência ao Prêmio de Tradução Agenor Soares de Moura. Notícias, da ABRATES (Associação Brasileira de Tradução), Ano 2, 3 abril 1976.

 

III.3.  Carlos Menezes, Referência ao Prêmio de Tradução Agenor Soares de Moura. O Globo, 2º Caderno, 5 abril 1976, p. 38.

 

III.4.  Entrevista a Carlos Menezes: No livro de Luiza Lobo, poesia e ficção unidas na “Artefábulas”. O Globo, 10 setembro 1976, p. 42.

 

III.5.  Variadas de leitura.  [Sobre Revista José e o conto de Luiza Lobo “O truta trauteador”].  Diário do Grande ABC, 23 setembro 1976, p. 16.

 

III.6. Indicações-Livro. Por trás dos muros. Opinião, 1º outubro 1976, p. 23.

 

III.7.  Por trás dos muros. Tribuna da Imprensa, Suplemento Literário, nota, 9-10 outubro 1976, p. 3.

 

III.8.  Luiza Lobo veio para dar curso. O Jornal, São Luís, 25 julho 1979.

 

III.9.  Luiza Lobo veio ministrar curso de literatura             em São Luís. O Imparcial, São Luís, 27 julho 1979.

 

III.10.  Luiza Lobo/Sousândrade. O Imparcial, 28 julho 1979.

 

III.11.  Escritora carioca lança livro em São Luís. Diário do Povo, São Luís, 31 julho 1979. p. 7.

 

III.12.  Luiza Lobo/Curso. O Imparcial, São Luís, 31 julho 1979.

 

III.13.  Luiza Lobo/Curso. O Imparcial, São Luís, 2 agosto 1979.

 

III.14.  Luiza Lobo lança hoje na AML (Acadmemia Maranhense de Letras) o seu livro. Diário do Povo, São Luís, 2 agosto 1979.

 

                                                                                             

 

 

III.15. Escritora Luiza Lobo lança O Guesa de Sousândrade. O Estado do Maranhão, São Luís, 3 agosto 1979.

 

III.16.  Adiado o lançamento de Tradição e ruptura. Diário do Povo, São Luís, 3 agosto 1979.

 

III.17. Programa Contistas Brasileiros de Maurício Salles Vasconcelos, na Rádio MEC em duas partes, a respeito de Por trás dos muros.  20 e 27 maio 1980.

 

III.18.  Sousândrade desconhecido.  Entrevista com Beatriz Bonfim. [Sobre a descoberta de um livro de Sousândrade dado por desaparecido por Sacramento Blake por Luiza Lobo]. Jornal do Brasil, Caderno B, 14 junho 1980, p. 11.

 

III.19.  Nota sobre palestra de Luiza Lobo sobre Poéticas do Modernismo no INELIVRO. Jornal do Brasil, Caderno B, 6 novembro 1980, p. 7.

 

III.20.  Escritores falam de suas experiências.  Nota sobre o 6º Congresso Nacional de Estudos de Linguística e Literatura da SUAM. Jornal do Brasil, Caderno B, Livros & Autores, 13 janeiro 1981, p. 2.

 

III.21.  Lançamento de Voo livre, de Luiza Lobo. O Globo, 2º  Caderno, 18 abril 1982, p. 2.

 

III.22.  Nota sobre curso de Luiza Lobo sobre o Romanceiro da Inconfidência, no INELIVRO.  Jornal do Brasil, Caderno B, 28 abril 1981. p. 2.

 

III.23. Ano de Souzândrade, sobre o Seminário Souzândrade – 150 anos, realizado pelo Departamento de Assuntos Culturais da Universidade Federal do Maranhão, de 5 a       9 de julho. O Estado do Maranhão, 1º julho 1982, p. 5.

 

III.24.  Sesquicentenário de Sousândrade. O Imparcial, São Luís, 9 julho 1982, p. 6.

 

III.25.  Entrevista Voo livre no novo salto de Luiza Lobo. O Povo, Fortaleza, 11 julho 1982, p. 25.

 

III.26.  Lançamento de Voo livre no Teatro José de Alencar, O Povo, 13 julho 1982, p. 22.

 

III.27.  Literatura não é manifesto político. Entrevista a Marcia Vidal in Literatura, Diário do Nordeste, Fortaleza, 14 julho 1982.

 

                                                                                             

 

 

III.28.  “O fantástico e o real juntos na literatura”.  Entrevista a O Povo, Fortaleza, 15 julho 1982, p. 21.

 

III.29. Referência a curso de Luiza Lobo “Literatura no Segundo Reinado”, no Museu Imperial de Petrópolis, organizado pelo MUDES.  O Globo, 22 setembro 1983.

 

III.30.  Nota sobre Luiza Lobo em Congresso sobre            Marginalidade da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ.  Jornal do Brasil, Caderno B, 22 novembro 1984. p. 2.

 

III.31.  Referências à palestra Women Writers in Brazil Today. The State, Columbia, SC, EUA, 30 setembro 1985, p. 7, 13.

 

III.32.  Referência à palestra Women Writers in Brazil Today. Update,  The University of South Carolina, Columbia campus, SC, EUA, 27 setembro 1985, p. 1.

 

III.33.  Referência à palestra Women Writers in Brazil Today. Lo que Pasa, News of the University of Arizona Community,  Tucson, Arizona, v. 9, 8, 21 outubro 1985, p. 4.

 

III.34.  Referência à palestra Women Writers in Brazil Today. Newsletter, Latin American Center, The University of  Arizona, Tucson, outubro 1985, p. 1.

 

III.35.  Luiza Lobo dá aulas na UFAL. Gazeta de Alagoas,  Maceió, 12 janeiro 1986, p. 14.

 

III.36.  Luiza Lobo – um voo livre cheio de arte e fábulas, por trás dos muros.  Entrevista a Marcos de Farias Costa e Newton Sarmento Filho. Jornal de Alagoas, Maceió, 22 junho 1986.

 

III.37.  Referência a Épica e modernidade em Sousândrade. Gazeta de Alagoas, (Maceió), Variedades, 19, [M.F.C.], 22 junho 1986, p. 19.

 

III.38. Carlos Menezes, Tudo sobre Sousândrade e O Guesa. O Globo, 2o Caderno, 10 julho 1986, p. 6.

 

III.39. Livro analisa poema de Sousândrade. [Sobre Épica e modernidade em Sousândrade]. Gazeta de Alagoas, 9 agosto 1986, p. 17.

 

III.40.  Lançamento do livro Épica e modernidade em Sousândrade na Terça-feira Cultural da Faculdade de Letras da UFRJ. 5 dezembro 1986.

 

 

 

 

 

III.41.  Entrevista no artigo Mulheres de estilo, sobre literatura feminina contemporânea. Isto É (SP), 528, 4 fevereiro 1987, p. 48.

 

III.42.  Sônia Coutinho, A voz negra dos anos 80. Entrevista com Luiza Lobo, entre outros. O Globo, 2o Caderno, 10  abril 1987, p. 1.

 

III.43. Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo. Universitário, Porto Alegre, julho 1987, p. 10.

 

III.44. Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo, de Luiza Lobo, e sobre a Editora da UFRJ. Jornal do Brasil, Idéias, 42, 18 julho 1987, p. 2.

 

III.45. Danilo Ucha, Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo. Zero Hora, Porto Alegre, Seção Livro, 19 julho 1987, p. 8.

 

III.46.  Adionel Motta Maia, Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo. Jornal da Bahia, Salvador, Seção Livros, 21 julho 1987.

 

III.47. Gonçalves do Amaral, Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo. Correio Popular, Campinas (SP), 11 setembro 1987. p. 20.

 

III.48.  Moacir P. Molon, Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo. Pioneiro, Caxias do Sul, RS, Seção Lançamentos, 15  setembro 1987.

 

III.49.  Indicação Folha de São Paulo de Teorias poéticas             do Romantismo, 5º Caderno, 27 setembro 1987, p. A-52, e números seguintes.

 

III.50. Referência de Mário Pontes no artigo O bom padrasto da Inteligência. Jornal do Brasil, Caderno B / Especial, 1º novembro 1987, p. 10.

 

III.51.  Nota sobre Teorias poéticas do Romantismo. Jornal de Letras (RJ), janeiro 1988, p. 7.

 

III.52. Referência na coluna de Ibrahim Sued, a respeito de mesa-redonda sobre literatura negra ocorrida no Pen Clube do Brasil, com Antonio Houaiss. O Globo, 2o Caderno, 19 maio 1988, p. 2.

 

III.53.  Referência a reportagem Seminário debate o negro na literatura. O Estado de Minas, Belo Horizonte, 29 junho 1988, p. 6.

 

III.54. Referência a Curso Malditos Interditos, com aulas de Luiza Lobo. Jornal do Brasil, Niterói, 23 setembro 1989. p. 9.

 

 

 

III.55.  Referência no jornal PHRevista, 487, em comemoração a Jomar Moraes, São Luís, Ano XV, 6 a 12 maio 1990, p. 1, 4, 8. O Estado do Maranhão, Coluna de Jomar Moraes, “Muito obrigado”, agradecendo suplemento, com citação de LL e outros intelectuais. São Luís, 9 maio 1990, 4ª feira, p. 13. Nota.

 

III.56. Diversas referências no artigo Obituário e elogios, de Paulo Francis, a respeito do verbete para o Dictionary of Brazilian literature, ed. Irwin Stern. Folha de São Paulo, Ilustrada, 13 setembro 1990, p. E-3.

 

III.57.  Ilustração e referências in O cinquentão Jomar Moraes, São Luís, Legenda, 1990, p. 8, 70.

 

III.58.  Mário Pontes, Nota sobre a edição de A maçã mordida, livro de contos, Rio de Janeiro, Numen, a sair 1991-2. Jornal do Brasil, Idéias/Livros, 8 junho 1991. p. 2.

 

III.59.  Referência sobre a participação no 13º Congresso Internacional da Associação Internacional de Literatura Comparada (ICLA), em Tóquio. Folha de São Paulo, Letras, 7 setembro 1991. Letras.  p. 6.

 

III.60. Entrevista a Isabel Cristina Mauad, “Pioneiras de uma revolução”, com Luiza Lobo e Sylvia Paixão. O Globo, 2º Caderno, 7 outubro 1991. p. 1-2.

 

III.61. Notas sobre A maçã mordida. Folha de São Paulo, 15 novembro 1992, Caderno 6, p. 9.

 

III.62.  Referência a lançamento da Antologia da nova poesia brasileira, org. Olga Savary, São Paulo, Hipocampo;  Rio de Janeiro, FUNIARTE, 1992, in Jornal do Brasil, Caderno B, 19 novembro 1992, p. 3.

 

III.63.  Referências a Luiza Lobo com relação ao verbete “Leitor”, publicado em Palavras da crítica, organizado por José Luís Jobim, na entrevista que este concedeu a Milton Temer no programa da TVE “Em busca do tempo perdido”.  10 março 1993.  (Fita de vídeo).

 

III.64. Mario Pontes, referência a mesa-redonda sobre Sylvia Plath, “Amarga”, Jornal do Brasil, Idéias/Livros, 17 abril 1993, p. 2.

 

III.65.  Antonio Carlos Miguel, duas referências sobre Luiza Lobo em mesa-redonda sobre Sylvia Plath. O Globo, 2º Caderno, 20 abril 1993. p. 1.

 

III.66.  Dossier sobre mesa-redonda a respeito de Sylvia Plath, “Amarga fama”, com Jorge Wanderley e Leonardo Fróes, no Centro Cultural Banco do Brasil. 20 a 25 abril 1993.  22 abril 1993.

 

 

 

 

III.67.  Programa Curto circuito. Entrevista na TV-E a respeito da mesa-redonda sobre Sylvia Plath. 30 abril 1993.

 

III.68.  Entrevista no Programa de Amauri Santos.  Rádio CBN, da Rede Globo, 2 julho 1993, 6ª feira, 22 horas. (Fita gravador).

 

III.69.  Referência no Programa da TV-E de Milton Temer a Crítica sem juízo.  8 julho 1993, 23 horas.

 

III.70. Referência à tradução bilingue de Robert Burns, poeta escocês do século 18, para a Editora Relume-Dumará. Jornal do Brasil, Idéias/Livros, Sofisticado, Página de Livros para o Natal, sábado, 10 julho 1993. p. 2.

 

III.71. “Burns. Luiza Lobo traduziu para a Relume-Dumará 50 poemas de Robert Burns”.  Jornal do Brasil, Idéias / Livros, Mario Pontes, Informe, sábado, 10 julho 1993. p. 2.

 

III.72.  “Segundo passeio ao farol”, nota sobre tradução de Passeio ao Farol, de Virginia Woolf, traduzido pela segunda vez por Luiza Lobo, agora pela Ediouro. Jornal do Brasil, Idéias/Livros, sábado, 31 julho 1993. p. 2.

 

III.73. Envio de oito livros de Luiza Lobo à Feira de Frankfurt de 1994 [tema da Feira: Brasil]. Carta da Fundação Biblioteca Nacional 12 maio 1994.

 

III.74. Referência à mesa-redonda Projeto Futebol – Cem Anos de Paixão”. Jornal da UERJ, Tijuca, 3a feira, 10 maio 1994, p. 14.

 

III.75. Referência à edição da tradução bilíngue de 50 poemas do poeta escocês pré-romântico Robert Burns, editado no Brasil pela primeira vez.  Coluna Sofisticado, Jornal do Brasil, Idéias/Livros, sábado, 17 dezembro l994. p. 4.

 

III.76. Referência à “sensível tradução de Luiza Lobo de Robert Burns”. Por Helena Severo, Secretária Municipal de Cultura. Jornal do Brasil, Idéias/Livros, Coluna O que eles estão lendo, 4 fevereiro l995. p. 6.

 

III.77. Entrevista a Claudia Miranda:  “Mestres da UFRJ analisam os marginais da literatura”. Tribuna da Imprensa, Ano 46, n° 13.821. Suplemento Tribuna Bis, 23 maio 1995. p. 2.

 

III.78. Notícia sobre Latin American women’s writing. Feminist readings in theory and crisis. Ensaio de Luiza Lobo. In: Literature: World. Oxford, Oxford University Press, maio 1996. p. 47.

 

III.79. “Ensaístas se sentem atraídos pela liberdade proporcionada pela criação”. Entrevista com Luiza Lobo, Luís Eduardo Soares e Livia Garcia-Roza. Resenha sobre o lançamento de Sexameron e outros dois romances. O Globo, 2o Caderno. 1º novembro 1997.

 

III.80. Informe sobre o lançamento de Sexameron. Jornal do Brasil, Idéias, Informe e Idéias. Sábado, 8 novembro 1997. P. 2.

 

III.81. Informe do lançamento de Sexameron. Folha de São Paulo. Mais! Livros. Notas. Domingo, 9 novembro 1997. P. 2.

 

III.82. Release sobre Sexameron, por ocasião do lançamento. Relume-Dumará, 1997. p. 2.

 

III.83. “Universität”, notícia sobre conferência “La escritura femenina en el Brasil contemporáneo”, Salzburger Nachrichten, Salzburg, Áustria, 3ª  feira, 1o dezembro 1998. Salzburg, Áustria, p. 8.

 

III.84. “Literatur”, notícia sobre depoimento Helena Parente Cunha e Luiza Lobo na Casa de Leitura, em 8 dezembro 1998. Salzburger Nachrichten, 7 dezembro 1998, p. 16.

 

III.85. “Helena Parente Cunha / Luiza Lobo. Literatur aus Brasilien”. Lesungen (port./deutsch) & Gesprach. Apoio Institut fur Romanistik, da Univ. Salzburg (Convênio UFRJ). In: Literaturhaus (Casa da Literatura), Salzburg, Áustria,  Dezember 1998. p. 8. 8 dezembro 1998.

 

III.86. Notícia sobre “Helena Parente Cunha e Luiza Lobo participam na Universidade de Salzburg em seminários e palestras, entre outras atividades acadêmicas”. Rio de Janeiro, Letras em Destaque, Informativo da Faculdade de Letras da UFRJ, Rio de Janeiro, Setor Cultural, 1 a 14 dezembro 1998, p. 4.

 

III.87. Notícia sobre o NIELM – Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Mulher na Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ – seus objetivos e linhas de pesquisa. Rio de Janeiro, Letras em Destaque, Informativo da Faculdade de Letras da UFRJ, Rio de Janeiro, Setor Cultural, 1999, p. 2.

 

III.88 . Mônica Ribeiro, “Horizontes da poesia”, artigo sobre os três livros organizados por Luiza Lobo no Curso de Pós-Graduação de Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ e seu lançamento no Espaço Cultural da Reitoria da Universidade Federal de Juiz de Fora no dia 1o julho 1999.  Tribuna de Minas, Caderno 2, Juiz de Fora (MG), 1o julho 1999. p. 1.

 

III.89. Biobibliografia de Luiza Lobo pelo Encuentro Iberoamericano de Mujeres Narradoras, Sociedade y Comunicación/ Universidad Ricardo Palma, Lima, Peru, 1999, homepage http://www.hys.com.pe/sic/detalle1.html. P. 5-7. Anúncio do “Encuentro Iberoamericano de Mujeres Narradoras. El Comércio, Seção Economía, Miércoles, Quito, 18 de agosto de 1999, p. B-4.

 

III.90. “Hablan narradoras mexicana y brasileña” e notícia sobre “Encuentro Internacional de Mujeres Narradoras”, Orbita Popular, n. 16, Suplemento, director Rodolfo Velarde, Lima-Peru, julio-agosto-septiembre 1999, p. 3, p. 1. Com foto, p. 3.

 

III.91. “Encuentro Iberoamericano de Mujeres Narradoras”. Museo de la Nación, Porgrama. Luiza Lobo (Brasil), “La literatura de autoría femenina en América Latina”. El Comercio, Economía, Miércoles, 18 agosto 1999. p. b-4.

 

III.92. Referência à primeira tradução para o português de Robert Burns, 50 poemas, Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1992. Island 8, Translations of Burns. www.sc.edu/library/spcoll/britlit.

 

III.93. Fred Suter, coluna “Geral”, notícia com foto sobre lançamento de Estranha aparição, de Luiza Lobo, em O Dia, 19 outubro 2000, p. 5.

 

III.94. Nota sobre o lançamento do livro Estranha aparição, dia 17 outubro de 2000, com foto com o escritor Godofredo Oliveira Neto, Tribuna do Escritor, Órgão oficial do Sindicato dos Escritores do Estado do Rio de Janeiro, “Lançamentos”, Rio de Janeiro, abril 2001, Ano 3, n. 7. p. 8.

 

III.95. Comentário de Luiza Lobo sobre regulamentação da profissão de psicanalista. In: Rio Artes. Rio de Janeiro, Ano 10, n. 28, julho 2001, p. 15. Com foto.

 

III.96. “Deux enseignants-chercheurs pour renforcer la filière. Fac: le portugais se dynamise”, Ouest-France, Mardi, 13 novembre 2001, p. 14.

 

III.97. Depoimento à coluna “O que eles estão lendo”, no caderno Idéias, do Jornal do Brasil, sábado, 2 março 2002, p. 7.

 

III.98. Luiza Lobo no Departamento de Português da Universidade de Aarhus, com o Cônsul Marco Cesar Meira Naslausky, o Assessor Cultural Dercy Ribeiro do Prado e Claudio Bogantes, chefe de Departamento de Língua, Literatura e Cultura. Humavisen, Faculdade de Humanidades, Aarhus, abril, maio, junho 2005, nº 50. Contracapa.

 

III.98. Luciana Rangel, “A arte da criação. A inspiração das mães escritoras para lidar com filhos e livros”. Domingo, Jornal do Brasil, RJ, Ano 28, nº 1410, 11 maio 2003: p. 30-1.

 

III.99. Jornal City – Milano – Ano 5, nº  7 – Mercoledi 4 maggio 2005.

 

III.100. Hello Milanowww.hellomilano.it – May 2005 – Brazilian meeting 19h30 – Institute Brasil-Italia, Via Borgogna 3 – IBRIT Milano – Tel. 02-7601-1320.

 

III.101. Vivi Milano – Corriere della Sera – Arti e cultura appuntamenti – Mercoledi 4 – Incontro.

 

III.102. Il Manifesto – Mercoledi 4 Maggio 2005 – Quotidiano Communista – Anno 35, n. 110 – Parole e pagine – IBRIT – questa sera l´incontro con le scritti di Luiza Lobo.

 

III.103. Popolis – 3 maggio 205 – Internet

www.popolis.it/Dettaglio.asp?EPID=1!0!0!0!43207! – 3-5-2005.

 

III.104. Ponto de encontro – Eventi Lusofoni.- www.ponto.altervista.org/eventos_ita.htm.

 

III.105. Entrevista ao jornal Gazeta do Povo – sobre a publicação do livro Segredos públicos: os blogs de mulheres no Brasil. Março 2007.

 

III.106. Entrevista ao jornal on-line da FAPERJ – sobre a publicação do Guia de escritoras da Literatura Brasileira. Março 2007.

 

III.107. Entrevista ao jornal Globo on-line sobre a publicação do livro Segredos públicos: os blogs de mulheres no Brasil. Abril 2007.

 

III.108. Menção a Segredos públicos, os blogs de mulheres no Brasil (Rocco, 2007), entrevista sobre Anaïs Nïn, publicada na revista de Joyce Pascowitch, Sao Paulo, agosto 2007, nº 11, p. 242-45.

 

III.109. Publicação em jornais e no programa sobre a leitura de dois contos de Luiza Lobo, “Auro” e “Estranha aparição, e da cubana Olga Sánchez Guevara, na Literaturhaus de Salzburg, no original e na tradução alemã, 22 outubro 2007, 2ª feira, Mosaik aus dem Innersten. Buchpräsentation, Lesung & Gespräch (portug./span./dt.).

 

III.110. Entrevista a Felipe Serrano sobre Segredos públicos em estadao.com.br, Blog do Link. 31 julho 2009. por Filipe Serrano , Seção: Internet, Cultura digital, Rede social, Blog às 19:15:26 . End. Eletr.: http://blog.estadao.com.br/blog/link/?title=entrevista_luiza_lobo_publicar_domingo&more=1&c=1&tb=1&pb=1.

 

III.111. Ancelmo Góes, coluna do Globo, Nota sobre o lançamento de Terras proibidas na Livraria Travessa de Ipanema, em 24 junho 2011. (ver também o globo.com.br/ancelmo).

 

III.112. Lançamento de Terras proibidas na livraria Cia. do Livro de Vassouras e Valença. Valença, 29 de julho, Vassouras, 30 de julho de 2011, durante o Festival do Café, org. pela Prefeitura.

 

III.113. “Um romance que passeia pela história de Vassouras”. Tribuna do Interior, Vassouras, 28 out. 2011. p. 9.

 

III.114. O Estado do Maranhão – São Luís, 17 de junho de 2012 – domingo, Caderno Alternativo, p. 5. “Luiza Lobo Filóloga: ‘Sousândrade foi um arauto dos tempos futuros’, afirma especialista. Em entrevista a O ESTADO, a filóloga e professora Luiza Lobo comenta a obra do autor maranhense Sousândrade, classificando o poeta como um precursor do pensamento de união do mundo; ela ministrará minicurso na Academia Maranhense de Letras.”

 

III.115. Jomar Moraes, referência à edição do Guesa por Luiza Lobo por Jomar Moraes, “Hoje é dia de… Sousândrade revisitado”, in O Estado do Maranhão, São Luís, 20 junho 2012, 4ª feira, n. 18.208, Caderno Alternativo, p. 8.

 

III.116. O Imparcial, São Luís, 5ª feira, 21 junho 2012. p. 3. “Obra completa organizada por pesquisadora da UFRJ, O Guesa, de Sousândrade, ganha reedição e será lançada hoje na AML. O livro levou cinco anos para ser concluído [sic, dez anos]”. Entrevista a Patricia Cunha.

 

III.117. O Estado do Maranhão, São Luís, 21 de junho de 2012 – 5ª feira, Caderno Alternativo, p. 5. “O Guesa em edição atualizada organizada pela professora, escritora e pesquisadora carioca Luiza Lobo: edição adaptada da obra clássica do poeta maranhense Sousândrade será lançada hoje, às 20h, na sede da Academia Maranhense de Letras”. Entrevista a Carla Melo (do Alternativo). Chamada na primeira página do Caderno Alternativo.

 

III.118. A culinária no áureo período das fazendas de café. Tribuna do Interior, Vassouras, 15 de julho de 2012. p. 4. Anúncio para o dia 26 de  julho às 16. Palestra com lançamento de Terras proibidas.

 

III.118. O GLOBO, 18 de agosto de 2012, Prosa, Clássico, sábado. p. 5. “O enigma de Sousândrade. Nova edição do épico ‘O Guesa’, organizada por Luiza Lobo, esclarece e mapeia o percurso fragmentado da vida e da obra do poeta maranhense”.  Entrevista a Mariana Moreira,

 

III.119. Sousândrade em palestra. Pesquisadora Luiza Lobo falará sobre a obra do escritor maranhense, da qual fez edição atualizada de O Guesa, evento será bno Odytlo Costa, filho; na palestra, ela abordrá o pioneirismo e a riqueza linguística presentes na produção. O Estado do Maranhão, São Luís, 18 de junho de 2013. Alternativo, p. 5.

III.120. Evento para exaltar uma guerreira. Academia Ludovicense de Letras promove hoje homenagem aos 190 anos da maranhense Maria Firmina dos Reis, patrona da casa, e entrega do diploma de membro correspondente a Luiza Lobo. Lançamento de livros. O Estado do Maranhão, Alternativo, São Luís, 11 outubro 2015, domingo, p. 2.

III. 21. Nota sobre a posse e a conferência no Centro Cultural Odylo Costa, Filho neste dia. O Estado do Maranhão, São Luís, domingo, 11 outubro 2015, p. 3.

Anúncios